google-site-verification=eohwkQwePJbpFJQuJcLdn-GmZZbtVgcD_AFX_VUS9_w

Recomendação é utilizar produto à base de álcool 70%

Classificada como uma doença viral aguda causada pelo Morbilivirus (família Paramixoviridae), o sarampo é transmitido via secreções nasais expelidas pela pessoa infectada ao tossir, espirrar, falar e até mesmo respirar.

Os sintomas da doença são febre alta, exantema (erupções avermelhadas na pele), tosse, coriza e manchas brancas na mucosa bucal. Além disso, podem ocorrer complicações como diarréia, pneumonia e encefalite. Em alguns casos, como o paciente fica suscetível ao surgimento de superinfecções virais e bacterianas, o sarampo pode resultar em complicações graves e até mesmo fatais.

De acordo com dados divulgados recentemente pelo Ministério da Saúde, foram registrados em 19 estados brasileiros nos últimos meses 4507 casos de sarampo. O levantamento aponta 13% de aumento em relação a último monitoramento.

E uma das principais estratégias para combater a doença é a vacinação. Porém, iniciativas simples e diárias como a correta higienização das mãos e limpeza dos ambientes internos são fundamentais para auxiliar na prevenção.

 

Maior eficácia

Segundo os especialistas lavar as mãos com sabonete e água corrente é a mais importante ação isolada para evitar infecções e transmissão de doenças, inclusive o sarampo. Mas a eficácia do procedimento torna-se maior no controle de infecções cruzadas com a aplicação de gel bactericida – conhecido popularmente como álcool gel – após a higienização. Uma das recomendações é aplicar o produto à base de álcool 70% (líquido, gel ou espuma).

Mas é importante lembrar que a aplicação do álcool não substitui a lavagem, já que o produto é utilizado com as mãos limpas. De acordo a empresa Trilha – associada a ABRALIMP fabricante de álcool em gel, é importante que o produto tenha como princípio ativo o álcool etílico a 70%, já que estudos comprovam que nesta graduação há maior eficácia no tempo de contato com os microorganismos. Graduação a mais ou a menos há perda da eficácia.

Em janeiro de 2019 a ANVISA divulgou uma nota técnica sobre antissépticos a base de álcool explicando em detalhes o uso do álcool gel, da espuma e do spray (soluções alcoólicas para assepsia das mãos). O material também cita a RDC (Resolução da Diretoria Colegiada) a ser seguida para documentação, rotulagem e utilização de desnaturante na composição das categorias destes produtos, entre outras informações.

Tendência mundial, o álcool em espuma 70% tem apresentado mais facilidade de utilização e dispersão nas mãos. Para facilitar o esclarecimento de dúvidas a companhia preparou um guia rápido sobre a correta higienização das mãos utilizando o álcool em espuma 70% material de acordo com a determinação da Organização Mundial da Saúde.

higienizar as maos com alcool em gel

Material explicativo produzido pela empresa Trilha.

 

Superfícies também estão na mira da higienização

Porém, a correta limpeza de superfícies como maçanetas de portas, corrimãos, guarda-corpos, botões de elevadores e metais sanitários, entre outros, durante o processo diário de limpeza também é fundamental para evitar a proliferação de doenças, já que tudo o que pode ser tocado pelas mãos pode se transformar em um potencial agente transmissor.

Para Miguel Sinkunas, diretor da Câmara Setorial de Fabricantes de Químicos da Abralimp, a utilização de álcool gel na finalização dos processos de limpeza é fundamental. “Desta forma, aumenta o cerco aos vírus e bactérias”, diz o especialista.

Sinkunas esclarece ainda que tanto na forma líquida como em gel a concentração de álcool etílico em 70% oferece melhores resultados. “A desnaturação das proteínas dos microrganismos é mais eficiente na presença da água, já que facilita a penetração do álcool para dentro dos micro-organismos. Além disso, a água retarda a volatilidade da mistura, permitindo maior tempo de ação, indispensável para sua atuação”, explica. “Cabe lembrar ainda que o álcool gel leva vantagem neste quesito, já que sua volatilidade é ainda menor”, finaliza.

 

Higienização correta das mãos

A Abralimp disponibiliza o conteúdo da cartilha “Dicas sobre a correta higienização das mãos”, com livre acesso para os assinantes do Portal Revista Higiplus, com orientações pertinentes sobre o tema. De forma didática estão listados os procedimentos corretos para melhor eficácia na limpeza das mãos. Útil a todos, o material destaca ainda as especificações requeridas para a aplicação dos profissionais da limpeza em ambiente hospitalar.

 

Fonte: Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional – ABRALIMP.

Foto/divulgação: BigStock e Trilha Indústria e Comércio.