O MOP, CONHECIDO NO BRASIL COMO esfregão, surgiu na Inglaterra do século XVI com o nome de “mappe”. O significado da palavra é incerto, mas acredita-se que venha do latim medieval e signifique “tecido”. Já nos Estados Unidos, há uma patente de 1837 descrita como “uma melhoria no suporte frontal dos mops e como prendê-los melhor”. O objeto tinha duas lâminas e as camadas de tecido deveriam ser presas por elas, que as apertavam por meio de parafusos. A ideia vinha do fato destes utensílios serem bastante usados para lavar pisos, tanto que existiam à venda até “torcedores” acionados por manivela, para retirar o excesso de água.

Contudo, o mop que ganhou popularidade foi o de Cassius White, um operário que criou o sistema abre-fecha, como um livro, feito em madeira. A demanda pelo produto foi tanta que fez surgir a White Mop Winger Co., que passou a produzir mops em madeira e ferro. A marca existe até hoje, como forte comerciante mundial do setor.

O modelo de madeira foi produzido até 1920. O de ferro foi paulatinamente substituído pelo de aço e, a seguir, pelo alumínio e o plástico. As formas hoje variam, assim como o material de que são feitos: de fios de algodão a tiras de microfibra.

Enquanto a indústria cresceu rapidamente nos EUA, na Europa os mops só começaram a ser fabricados em 1963, ainda em ferro. Nos EUA, as dimensões eram bem maiores e a utilização feita por homens de porte avantajado (sendo comum jogadores de basquete de menor sucesso trabalharem também como faxineiros). Na Europa, a limpeza era em geral feita por mulheres, o que necessitava de equipamentos mais leves. Daí veio a ideia do mop menor e com dois baldes, um para água limpa, outro para água suja.

No Brasil, sua vinda se deu na década de 1970, quando um jovem gaúcho, que trabalhou como faxineiro nos Estados Unidos, iniciou sua fabricação, mas sem sucesso comercial. Até que uma grande rede de fast food se instalou no país e fez com que, finalmente, as virtudes do mop fossem reconhecidas.

Fonte – Livro: A História da Limpeza Profissional no Brasil. (O livro pode ser adquirido junto à Abralimp).