COM A PRESENÇA DE MAIS DE 600 PESSOAS, a noite de 16 de maio foi marcada pela cerimônia de abertura do maior evento de Limpeza Profissional no país: o Encontro Nacional das Empresas de Asseio e Conservação (Eneac), edição 2018.

Realizado desde 1982 pela Federação Nacional das Empresas de Asseio e Conservação (Febrac), o Eneac se traduz como o principal encontro de empresários e lideranças do setor, além de promover a renovação de conhecimentos por meio de palestras de experts do mercado.

Durante seu discurso de abertura, o então presidente da Febrac, Edgar Segato Neto, destacou o histórico de sucesso do evento. “Hoje, 16 de maio, data que homenageia os Profissionais de Asseio e Conservação, estamos iniciando a 26ª edição do Eneac, com certeza, mais um marco dentro da nossa atividade”. Por sua vez, o anfitrião e presidente do Seac-PR, Adonai Aires de Arruda, agradeceu a presença e desejou um ótimo evento a todos.

NOVA DIRETORIA FEBRAC

Ainda na primeira noite, aconteceu a posse da nova diretoria da Febrac, encabeçada pelo empresário e líder sindical mineiro, Renato Fortuna Campos, que presidirá a Federação de 26 de junho de 2018 a 25 de junho de 2022.

Em discurso, o novo presidente falou sobre os pilares de sua gestão. “Continuaremos a estreitar nossas relações institucionais, visto que é fundamental a constante valorização de nossa representatividade junto à CNC e todas às demais entidades com as quais interagimos, governamentais ou não. Não menos indispensável será nossa atuação permanente junto às casas legislativas, por meio do monitoramento e de proposições de leis do interesse do segmento”, disse Campos.

Para fechar a noite, a banda Dose in Blues embalou o coquetel de abertura, no qual os participantes tiveram a oportunidade de confraternizar e estreitar o networking.

PALESTRANTES DE PESO

Na manhã do dia 17 iniciou-se o ciclo de palestras. A primeira delas ministrada pelo historiador e filósofo Leandro Karnal, que falou sobre ética. “A virtude ética é adquirida pelo hábito. É por meio de um processo lento que vamos ensinando hábitos éticos aos nossos descendentes”. Ele lembrou ainda que, pela primeira vez em nossa história, temos condições de fazer uma renovação ética. “Temos visto que pessoas importantes estão sendo presas por desvio ético. É a primeira vez que temos um milionário branco preso, por exemplo”.

Em seguida, foi a vez do superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu Nacional, Ariel Scheffer da Silva, explanar sobre a Sustentabilidade Ambiental e a importância desta temática integrar a rotina das empresas.

Por fim, o tema Reforma Trabalhista foi trazido pela desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Estado do Rio de Janeiro, Vólia Bomfim. A palestra foi mediada pelo Ministro do Trabalho, Helton Yomura, pelo presidente do Seac-RJ, Ricardo Garcia e pelo presidente do Seac-MS, Daniel da Silva Amado Felicio. Foram abordados os principais pontos da Lei 13.467 (Reforma Trabalhista), mudanças e conseqüências para o setor produtivo e, ainda, o fim da validade da MP 808, tornando novamente válido o determinado pela nova legislação para itens como o trabalho insalubre de grávidas e lactantes.

No dia seguinte, continuando a sequência de palestras, Mágino Alves B. Filho, secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, falou sobre a diminuição da violência nos últimos anos. “A integração nacional é uma promessa antiga, muito positiva para a segurança nacional. Hoje é possível ver uma luz, com a criação do Ministério da Segurança Pública”.

O segundo a subir ao palco foi o doutor e mestre em Direito, Edgar Guimarães, que abordou a nova lei de licitações e contratos das estatais. “Com a nova lei, tornou-se ilegal publicitar os orçamentos. E isto é positivo, pois torna o processo muito mais próximo da realidade do mercado. Antes, muitas empresas faziam suas propostas somente com base no orçamento divulgado”.

Por fim, ocorreu a palestra mais esperada do Eneac 2018, com a jornalista Miriam Leitão, que comentou a atual conjuntura econômica brasileira. “Estamos vivendo uma recuperação muito lenta, pois a economia está saindo muito traumatizada dessa situação. O desemprego cresceu demais no Brasil. E esse número é ainda maior quando falamos de mulheres, negros e jovens. É preciso que o Brasil democratize as oportunidades. Por exemplo, não há mulheres em cargos de alta gestão, e a maioria da população é mulher e negra. Ou seja, continuamos discriminando e punindo. É preciso representatividade para que o Brasil melhore”, enfatizou.

Miriam analisou também o cenário político. “Não há como falar de economia sem falar de política. A economia depende diretamente do que acontecerá neste ano eleitoral, que é um dos mais confusos da história do Brasil. Pela primeira vez, estamos vendo CEOs de empresas serem presos por corrupção. Isso é muito positivo, pois diminui em muito as chances de dinheiro ilegal circular”, disse.

40 ANOS DO SEAC-PR

A noite do segundo dia de evento foi marcada pela cerimônia de posse e comemoração aos 40 anos da entidade anfitriã, o Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Estado do Paraná (Seac-PR).

Para o presidente da Febrac, Edgar Segato Neto, foi uma honra presenciar este marco para o sindicato. “Nesta noite plena de significado para nós, quando comemoramos o aniversário do Seac-PR, nosso sentimento maior é a alegria incondicional de estarmos aqui, reafirmando nossa confiança em entidades para representar e defender o setor”.

O presidente do Seac-PR, Adonai Aires de Arruda, falou sobre a atuação do sindicato em prol do setor no Estado. “Sempre tentamos viabilizar projetos que beneficiem ambos os lados. As empresas dependem da mão de obra dos trabalhadores e, para isso, é preciso pensar amplamente. O sucesso de um depende diretamente do sucesso do outro. Durante esses 40 anos, tivemos um sindicato saindo à frente no Brasil, com ações que elevaram a discussão sobre terceirização”, enfatizou. Algumas destas ações, inclusive, foram pioneiras no país, como o trabalho de formação de preços para os serviços de limpeza e os encargos sociais na década de 1980. Outra importante referência foi a criação de uma fundação educacional para capacitar os trabalhadores do setor. A Facop, existente há 15 anos, oferece cursos gratuitos e livres aos profissionais do setor.

Na oportunidade, Arruda ainda convidou todos os presentes a participar do Forum Pulire América – Limpeza como Valor Absoluto, entre os dias 9 e 10 de agosto em Curitiba (PR).

ANUÁRIO DE 35 ANOS DA FEBRAC

Durante o Eneac, também foi feito o lançamento do Anuário de 35 anos da Febrac. A publicação marca o aniversário de fundação da entidade, ocorrida no dia 7 de maço de 1983, e traz em textos e fotos as lutas trilhadas pelo setor em busca da excelência, regulamentação e aprimoramento profissional. “Não foram poucas as nossas frentes de batalha contra deturpações que aviltaram nossa atividade ao longo destas três décadas e meia. Mas, a cada combate vencido, ganhava o setor e ganhávamos nós, líderes deste movimento, em tenacidade e experiência para enfrentar os desafios vindouros”, ressaltou Segato.

PREMIAÇÃO “MÉRITO EM SERVIÇOS”

Após o lançamento do Anuário, ocorreu a entrega do prêmio “Mérito em Serviços” em homenagem às empresas associadas aos Sindicatos, de acordo com seu tempo de fundação, nas seguintes categorias: Bronze (10 a 19 anos); Prata (20 a 29 anos); Ouro (30 a 39 anos); Platina (40 a 49 anos); Diamante (acima de 50 anos de fundação). O prêmio foi entregue à cerca de 120 empresas, durante solenidade digna da qualidade e solidez do setor de Asseio o Conservação.

No dia seguinte, foi feito o encerramento do Eneac 2018, ocasião na qual o presidente da Febrac agradeceu a presença de todos os congressistas e dos patrocinadores e parceiros: Itaipu Binacional, Benefício Social Familiar, Fecomercio-PR, CNC, Alfa Tennant, Biorc, Nilfisk, Latam e Spartan do Brasil. A próxima edição do Eneac ocorrerá em 2020.