Planejar a limpeza pós-obra não é tarefa fácil, sendo que construir ou reformar ambientes sempre acaba gerando poeira, entulhos e outros resíduos de materiais. Em uma grande construção, como um edifício, a situação é ainda mais crítica.

Por isso, esse processo exige um alto nível de conhecimento e responsabilidade dos profissionais que executam a obra e também a limpeza do ambiente, sendo necessária utilização de produtos e equipamentos específicos para eliminar os resíduos, de maneira que não causem danos às superfícies.

Neste contexto, a Abralimp traz informações importantes para promover uma limpeza eficiente durante a construção e pós-obra, garantindo um serviço de qualidade na entrega do projeto. Confira:

1 – Conte com empresas especializadas e mão de obra qualificada

O processo de limpeza pós-obra é bem mais complexo do que o trivial, de acordo com a Abralimp. Enquanto nos ambientes empresariais ou hospitalares as sujidades comuns são poeiras ou impurezas domésticas, na obra, os profissionais de limpeza se deparam com sujidades bem diferentes e pesadas, como restos de rejunte de piso. A operação de limpeza, desta forma, precisa de equipamentos, técnica para retirada e a contratação de uma equipe especializada.

2 – Cada resíduo requer um processo de limpeza diferente

O uso de produtos de qualidade é uma das garantias para o sucesso da empresa responsável por esse tipo de limpeza. Dentre as opções disponíveis no mercado de limpeza profissional, as mais indicadas são fórmulas à base de água que não danificam nem mesmo o mármore mais sensível. Esses produtos podem servir para remoção de resíduos de epóxi, renovação, limpeza ou alisamento do rejunte, mesmo que esteja com superfícies encardidas e ásperas; remoção de manchas de tintas, colas, silicones, entre outras. Siga sempre as orientações apresentadas pelo fabricante do produto e busque informações técnicas para evitar erros graves e prejuízos.

3 – Elabore um planejamento

Antes de realizar qualquer tipo de limpeza, a visita do especialista é fundamental na obra, pois é ele quem vai dizer o tipo de sujeira e quais os produtos e equipamentos necessários para a correta remoção. A segunda etapa é apresentar ao cliente qual será a metodologia de trabalho, que leva em conta, além dos materiais a serem utilizados, o espaço, até o tipo de acabamento.

4 – O uso de EPI’s é fundamental

 

Para a segurança dos operadores de limpeza, a utilização de Equipamentos de Proteção Individual é premissa, uma vez que eles irão manusear produtos químicos. Por isso, é comum as equipes utilizarem luvas, máscaras e óculos de proteção. Além de todos esses cuidados, o uso de uma bota impermeável de PVC também evitará o contato dos colaboradores com produtos corrosivos, além de diminuir a probabilidade de derrapagens. Para saber quais equipamentos utilizar para a sua atividade, sempre consulte o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) da sua empresa.

Quer conhecer as novidades e inovações da limpeza pós-obra? Visite o maior evento de produtos e serviços para higiene, limpeza e conservação ambiental da América Latina, a 26ª Feira Higiexpo, de 20 a 22 de agosto, no São Paulo Expo.

 

Agenda - Higiexpo 2019 e 27° Congresso Higicon

Data: De 20 a 22 de agosto
Horário: das 13h às 20h00
Endereço: São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - Vila Água Funda), São Paulo
Informações e inscrições em http://higiexpo.com.br/ e www.higicon/com/br.

Fonte: ABRALIMP e ADS Comunicação Corporativa.