Um produto sustentável é aquele que apresenta o melhor desempenho ambiental ao longo de seu ciclo de vida, com função, qualidade e nível de satisfação igual, ou melhor, se comparado a um produto padrão.

Um estudo conduzido pelo Mercado Livre, empresa líder em tecnologia de e-commerce na América Latina, indicou que, entre junho de 2019 e maio de 2020, 2,5 milhões de usuários compraram produtos com proposta sustentável – só no Brasil, foram 1,4 milhão. Isto mostra que consumidor está cada dia mais voltado à busca por opções sustentáveis. Mas não é só ele.

De acordo com uma reportagem publicada pelo Valor Econômico, especialistas apontam que, depois de o mundo sentir como nunca os efeitos da falta de atenção à natureza, no pós-coronavírus vão ganhar tração investimentos que antevejam retornos ambientais, sociais ou de governança. A percepção de que a pandemia vai fazer da agenda sustentável “o novo normal” é reforçada por Thomaz Fortes, gestor de fundos da corretora de investimentos Warren. Para ele, o coronavírus mostrou a importância de estimar os impactos ambientais.

Com base nisso, saem na frente as empresas que têm a sustentabilidade como parte preponderante do negócio, e na Limpeza Profissional não é diferente. Nesta reportagem, a revista HigiPlus apresenta quatro cases de empresas do setor que desenvolveram produtos e estratégias com base no respeito à preservação do meio ambiente. Confira:

Transformando água em ozônio

Diminuir o impacto nocivo dos produtos químicos de limpeza no meio ambiente e na saúde das pessoas, sem gerar lixo ou resíduos, e com redução da pegada de carbono. Este foi o propósito para a criação da solução de limpeza Dispenser SAO, da Tersano.

Presente em mais de 20 países, o sistema transforma a água comum da torneira em Ozônio Aquoso Estabilizado (SAO, em inglês), um agente de limpeza que elimina a sujidade, gordura e outros contaminantes/micro-organismos, substituindo produtos químicos tradicionais de limpeza, e sem causar risco à saúde caso inalado ou ingerido. “Além de ser inofensivo ao meio ambiente quando eliminado, o sistema também está dentro dos padrões Green Seal, BOMA BEST, LEED e ABNT”, explica o country manager, Sergio Del Papa Jr.

Especificamente no Brasil, o mercado da solução ainda se concentra nas prestadoras de serviços de limpeza e nas áreas de Facilities com foco em ações reais voltadas à sustentabilidade. “Áreas como energias renováveis, reciclagem e política de resíduos sólidos estão mais presentes nas operações. Então, o nosso mercado ainda vê este tipo de solução como uma inovação para o futuro”, completa Sergio.

Limpeza em cápsulas

Ser uma fabricante de químicos que aposta na utilização apenas de ingredientes naturais de fontes renováveis em suas formulações poderia não passar de um sonho. Ainda mais há quase 15 anos, quando o mercado para tais produtos era bem restrito. Mas o sonho não só se consolidou como hoje representa a primeira empresa da América Latina a possuir o Rótulo Ecológico da ABNT.

“Usar ingredientes naturais foi algo esquecido por muito tempo devido à facilidade de compra e manipulação dos compostos petroquímicos e sintéticos. Escolhemos o caminho mais árduo, mas, sem dúvida, o caminho necessário aos desafios ambientais e de saúde dos tempos atuais. Felizmente, conseguimos nesse período desenvolver produtos que funcionam, possuem escala para atender um segmento tão relevante na nossa economia, que é a Limpeza Profissional, e com preços alinhados aos melhores produtos do mercado”, explica o sócio fundador da Terpenoil, Marcelo Ebert.

Além de contar com o único produto natural do mercado registrado como desinfetante pela Anvisa, a empresa possui uma linha de formulados concentrados, para ajudar outras marcas a iniciarem linhas de menor impacto em produtos saneantes. Recentemente, foi lançada também uma linha de produtos de limpeza naturais para casa em cápsulas. “Além de não contar com derivados petróleo, clorados e fosfatados nos ingredientes, o fato de o produto ser em cápsulas reduz em 2/3 o uso de plástico e em 94% o consumo de CO2 no transporte. E ainda oferecemos logística reversa dessas cápsulas, que retornam à nossa fábrica e viram novamente insumo para novos objetos (e cápsulas) sem custo ao cliente”.

Discos biodegradáveis

Discos de limpeza são utilizados para fazer remoções, limpeza ou dar brilho nos mais diversos tipos de piso. Em geral, são usadas resinas de fenol-formaldeído no processo de união de suas fibras, além do fato de o percentual de decomposição dos discos tradicionais ser de apenas 4% após um ano. Para solucionar estes problemas, a Américo do Brasil desenvolveu um sistema de produção que a coloca como a única do mundo a produzir discos com 100% das fibras provenientes de PET reciclado, sem uso de fenol-formaldeído (apenas água) e gerando um produto que se biodegrada até 98% em um ano. “Para nós, essa relação entre Limpeza Profissional e sustentabilidade deve ser o mais próxima possível, pois o mercado precisa estar sempre inovando com consciência e cuidando do planeta”, destaca o sócio da empresa, Giuliano Santin.

A fabricante é a única do mundo no segmento de discos que possui o selo verde Full Cycle, certificação concedida pela Green Seal para Inovação Ambiental com base em biodegradação mais rápida em condições de aterro e 100% de conteúdo reciclado / fibra natural. “A importância deste selo é enorme, pois somos os únicos no Brasil em discos e fibras atendendo essa demanda de empresas preocupadas com a questão ambiental. Isso significa que os consumidores têm acesso a um produto com rendimento de longa duração, ao mesmo tempo em que reduzimos o impacto da humanidade sobre o meio ambiente”.

Micro pulverização por arrasto de vapor

A relação da Quiminac com a questão ambiental é antiga. Há mais de 20 anos, a empresa fabrica produtos com preocupação em relação ao meio ambiente, saúde e sustentabilidade, desenvolvendo, por exemplo, o primeiro desengraxante de contato do Brasil voltado a empresas regidas pelas normas ISO 14000 e OHAS 18000, além da fabricação de produtos que limpam até 200 m² com apenas um litro de solução ou limpadores multiuso totalmente enquadrados na chamada “Química Verde”.

Mas, agora, a marca inova com um processo inédito no Brasil, desenvolvido junto a um parceiro. Trata-se do SAT (Sistema de Atomização Térmica), criado em função da nova tendência mundial pela procura da aplicação de produtos na forma mais pulverizada possível. “O SAT emprega um sistema para micro pulverização de produtos por arrasto de vapor, conseguindo a aplicação de gotículas nano métricas. Os princípios ativos não são gaseificados e sim nano particulados, criando uma nevoa bem rarefeita. Tal sistema pode ser aplicado sobre qualquer material e oferece redução significativa no consumo de químicos, água e mão de obra, diminuindo de forma significativa também a agressão ao meio ambiente”, explica o diretor da empresa, Miguel Sinkunas.

Entre as vantagens está a desinfecção mais segura por meio da aplicação homogênea, operações de limpeza mais eficientes e rápidas, em situações antes praticamente impossíveis ou com tempos inaceitáveis, a penetração em pequenas reentrâncias, além da redução de contaminações cruzadas. “Ao término das aplicações, as superfícies estão secas e prontas para o uso, com uma redução drástica do volume de água e produtos químicos aplicados”, diz Miguel.

Cada vez mais, a associação entre os negócios e a sustentabilidade está rendendo frutos aos que investem nessa vertente. Felizmente o mercado também vem concordando com essa afirmação. Além de não haver sentido em insistir em práticas do passado, que colocam sob risco as gerações futuras, a sustentabilidade empresarial traz posicionamento positivo e valor para o negócio. É um jogo onde ganham todos os envolvidos.

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.