Executivos do setor ainda orientam suas equipes para a limpeza mais profunda, mesmo com regras menos rígidas

Limpeza em hotéis / Freepik

O mês de férias se aproxima e os planos de viagem aumentam. Com isso, a escolha de um bom hotel para aproveitar os dias de lazer ganha destaque nos preparativos e, no atual momento, com uma atenção a mais: para as condições de limpeza das instalações. 

Durante a pandemia de covid-19, o setor de hotelaria passou por mudanças profundas na forma de realizar a limpeza. Ainda que hotéis tenham uma preocupação secular com a higiene de quartos e áreas comuns, o risco da disseminação do novo coronavírus ampliou ainda mais os cuidados. Agora, mesmo com o relaxamento de algumas medidas, executivos do setor afirmam que os cuidados permanecem. 

Carlos Bernardo, da ABIH-SP / Divulgação

Carlos Bernardo, da ABIH-SP / Divulgação

Carlos Bernardo, vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo (ABIH-SP), e diretor regional de operações Mid & Eco Brasil do Grupo Accor, conta que, em relação ao público, recomenda-se disponibilizar álcool em gel, com uso de máscara opcional.

No entanto, nas operações internas do hotel, há procedimentos de limpeza mais profunda para garantir que todos os hóspedes fiquem protegidos.  “Há mais limpeza nos itens de maior contato do apartamento, como interruptores, mesas de trabalho e controles de TV e ar-condicionado”, diz.

“Também há maior atenção na limpeza, além da disponibilidade de álcool em gel. Colaboradores com covid-19 devem permanecer em casa, conforme orientação dos médicos, e atenção às recomendações dos estados.” 

Quem tem uma visão similar de mercado é Aline Lima, instrutora do curso da Fundação UniAbralimp sobre Limpeza e Desinfecção de Superfícies no Combate a Micro-organismos. A especialista explica que, durante a pandemia, alguns protocolos nacionais, estaduais e municipais foram desenvolvidos de acordo com determinações da Organização Mundial da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Hotéis contam com manual da Abralimp 

Aline Lima, instrutora do curso da Fundação UniAbralimp/ Divulgação

Aline Lima, da Fundação UniAbralimp / Divulgação

Na Abralimp, foi desenvolvido um manual para estabelecimentos de hospedagem com todas as recomendações determinadas pelos órgãos competentes, mais aquelas de processos desenvolvidos com a união de diversos profissionais. 

“Dentre algumas recomendações, está a intensificação da frequência de limpeza e desinfecção, principalmente em áreas comuns, e disponibilizar soluções antissépticas para a higiene das mãos com maior frequência”, explica Aline. 

De acordo com a instrutora, mesmo com a flexibilização dos estabelecimentos, esses protocolos foram incorporados e atualmente fazem parte da rotina de higienização dos ambientes. Afinal, segundo ela, o cliente não é mais o mesmo. 

“O perfil do usuário mudou. Logo, os estabelecimentos se adequaram para conseguir demonstrar ao hóspede que existe segurança nestes ambientes”, contextualiza Aline. 

Para ela, a higienização é essencial para proporcionar essa segurança. “Persistir no cuidado é fundamental. A pandemia claramente nos mostrou isso. O legado que deve ficar é que higiene não pode se esvaecer com a pandemia, e sim perdurar, para continuar promovendo saúde, segurança e bem-estar a todos.” 

Mudanças que vieram para ficar 

Outro ganho permanente, segundo Aline, são os avanços tecnológicos. “Pagamento com cartões sem contato, celulares ou smartwatch ganharam força na pandemia e foi algo que permeou por diversos setores, como o hoteleiro”, diz. “Foram protocolos adotados pela área hoteleira desenhados para minimizar a disseminação do vírus e que hoje conseguimos observar que nos trouxe muito mais praticidade sem perder a hospitalidade nos ambientes.” 

Por fim, para garantir a segurança e a saúde dos hóspedes e funcionários, Aline vê uma saída: equipes treinadas. “Ter equipes treinadas e com protocolos bem desenhados é essencial para garantir a segurança de todos nestes ambientes.” 

“Quando falamos em higienização, é fundamental ter em mãos o procedimento operacional padrão (POP), além de formas de inspecionar e gerenciar atividades de acordo com a necessidade de cada local”, afirma Aline. 

Continuar respeitando as orientações dos órgãos de saúde é essencial para o setor de hotelaria garantir a qualidade do serviço e oferecer segurança aos seus clientes. Para ter apoio nessa tarefa, os estabelecimentos podem contar com treinamentos e recomendações de especialistas de limpeza profissional, e vale também conhecer o manual disponibilizado pela Abralimp

Hotéis, pousadas e demais estabelecimentos do setor podem conferir na Higiexpo 2022, maior feira de produtos e serviços para higiene, limpeza e conservação ambiental da América Latina, que acontece nos dias 9, 10 e 11 de agosto, das 13h às 20h, no Expo São Paulo, as novidades para garantir a limpeza e manter seus negócios nas opções dos viajantes.

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik e divulgação