Equipes e processos geridos de forma automatizada, trazendo dados mensuráveis e evitando erros e prejuízos à operação são o verdadeiro “sonho de consumo” de todo gestor – e na Limpeza Profissional não seria diferente.

A boa notícia é que existem soluções tecnológicas que cobrem as mais variadas necessidades, seja o mapeamento de equipes e validação dos locais higienizados, Internet das Coisas ou mesmo softwares que facilitam não só a gestão de processos dos supervisores, mas de toda a empresa. Conheça algumas dessas novidades abaixo, nesta reportagem exclusiva da revista Higiplus.

Hubs de integração e plataformas seguras

Um conjunto de ferramentas integradas, criadas para facilitar a gestão dos negócios. Essa é a solução oferecida pela FKN Sistemas Corporativos, sediada no Paraná.

“Os sistemas têm como objetivo evitar atividades humanas repetidas e automatizar o cruzamento de informações, apontando para as principais questões que importam ao cliente”, destaca o diretor Geral, Antônio Carlos Gonçalves. “As tecnologias existentes hoje permitem que possamos oferecer nossos softwares como serviços (SaaS). Isso propicia que nossos clientes foquem nas atividades estratégicas, criativas, de melhoria contínua ou de planejamento, e deixem de se preocupar com a infraestrutura de TI e similares”.

Segundo Antônio, desde o início da pandemia, 55% dos clientes que utilizavam servidores próprios migraram para a tecnologia de SaaS. Isso ocorreu devido à percepção de que manter servidores, equipes para atualização de sistemas ou mesmo para manutenção e recuperação de falhas acabava por não agregar valor final ao negócio.

“Outra questão foi que, com as pessoas trabalhando em casa, cada empresa teria que se preocupar com ferramentas de segurança, firewalls e controles de acesso para garantir que ninguém pudesse invadir virtualmente os sistemas de dados. Por isso, temos buscado desenvolver hubs de integração e plataformas seguras que deem aos clientes o melhor em segurança, sem que eles tenham que se preocupar com os detalhes”, conclui.

Validação de higiene e softwares de gestão

Higiene profissional precisa ser feita com produtos profissionais para alcançar a qualidade e custo-benefício esperados. Mas de nada adianta o colaborador ter disponível o melhor produto se não contar com a ferramenta adequada para aplicá-lo, se não tiver capacitação ou se não há avaliações quantitativas para comprovar a limpeza.

Pensando nisso, a Spartan do Brasil oferece um sistema de validação de higiene, que consiste em um equipamento para realização de leituras de contaminação por meio de coletas feitas com o auxílio de um swab. “Após o contato com a superfície, o swab é introduzido no equipamento que faz a leitura e gera um valor numérico. Esse resultado é comparado com o parâmetro do equipamento, que irá nos dizer se a superfície está perfeitamente higienizada ou não”, explica o gerente Técnico da empresa, Thiago Lopes.

Para garantir que os indicadores se transformem em informações de fácil compreensão para a tomada de decisões, a empresa também desenvolveu um software de gestão de processos que envolve todos os aspectos da higiene profissional, seja fazendo controle de estoques de produtos, controle de máquinas, cadastro de colaboradores ou mesmo contabilizando os treinamentos realizados. Com isso, é possível definir os melhores processos para cada área, sua frequência, tempo necessário ao serviço e inspeções avaliativas de qualidade, gerando um nível de serviço que pode ser medido em números.

“Sem dados, você é apenas uma pessoa com uma opinião. Precisamos poder mensurar o processo de higiene institucional/industrial para saber onde melhorar, onde estão os gargalos, e tomar as decisões mais assertivas para resolver os problemas do dia a dia”, completa.

Robotização e Internet das Coisas

A Internet das Coisas (IoT – sigla em inglês) já é uma realidade na Limpeza Profissional e o conjunto dessas tecnologias possibilita, entre outros, integrar digitalmente os portais de fornecedores e usuários das máquinas.

“Em relação à Internet das Coisas (IoT), contamos com a ferramenta da Telemetria à Distância, que captura e disponibiliza em tempo real o que está ocorrendo com as máquinas que fornecemos”, explica o vice-Presidente para América Latina na Tennant Company, Sandro Haim. “Ao ter a informação exata, a limpadora pode cumprir seus SLAs e, principalmente, comprovar esse cumprimento junto aos clientes. Também evita a perda ou roubo de equipamentos e, por fim, viabiliza mensurar e decidir se o uso real do equipamento está maximizando as necessidades de limpeza”.

Além da IoT, o mercado conta também com opções de robotização. Trata-se de máquinas que, além de fazer os percursos repetitivos, contam com tecnologia e sensores para demonstrar a forma exata com que o trabalho foi realizado. Desta forma, além de liberar a mão de obra para tarefas mais nobres e complexas, um robô de lavagem de pisos permite, por exemplo, escanear e demonstrar o trabalho feito, tornando possível a criação de rotas de limpeza de excelência.

“Utilizando essas ferramentas, já foi possível detectar perdas de equipamentos na ordem de até 10% (dados de estudos na Europa), perceber casos em que as máquinas são usadas até 80% menos do que o esperado ou mesmo evitar sobreposições de lavagens de pisos, que podem desperdiçar até 50% do tempo e recursos. Percebendo esses desvios, geramos indicadores que possibilitam a correção dos processos e a melhor utilização dos equipamentos na rotina de limpeza”, finaliza Sandro.

Vale lembrar que, embora pouco vista sob essa perspectiva, a Limpeza Profissional é, sim, um processo produtivo: produtivo de saúde, de segurança, de bem-estar, de manutenção e durabilidade de superfícies, entre outros. E para que haja qualidade nos processos produtivos é necessário haver padrão. Quanto mais perto da tecnologia e da geração de dados mensuráveis estiver a limpeza, mais próximo o setor estará da excelência.

 

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.