As restrições impostas pela pandemia têm feito com que diversos estabelecimentos passem semanas e meses fechados, ou mesmo funcionando com capacidade reduzida. Com isso, máquinas e equipamentos de limpeza passaram a ficar guardados por longos períodos, sendo necessário aplicar alguns cuidados para manter sua vida útil. Quer saber como guardar máquinas e equipamentos a longo prazo? Confira as dicas de associados especialistas da Abralimp:

Logística do armazenamento                       

Antes de tudo, é preciso considerar o correto armazenamento mesmo antes de o produto ser vendido ou entrar em uso. Daí a necessidade de contar com bons distribuidores, que disponham de estrutura adequada.

“No caso de máquinas e equipamentos novos, o primeiro a avaliar é se as embalagens estão em perfeitas condições, a fim de evitar possíveis danos”, destaca o diretor Geral do Grupo GS, Ginivaldo G. Silva. “Todos os produtos devem ser armazenados em suas embalagens originais, dentro das recomendações dos fabricantes”.

Para armazenamentos mais longos, o local escolhido deve ser seco, paletizado, protegido e identificado para que os itens não sofram avarias durante o deslocamento ou veiculação de outros produtos no espaço.

Outro aspecto indispensável é fazer o mapeamento das peças junto aos fabricantes, a fim de controlar seu prazo de vida útil. “Mesmo sendo novas, algumas peças podem sofrer ressecamento natural devido ao tempo, principalmente as de plástico e borracha”, completa Ginivaldo. Por fim, antes de armazenar quaisquer equipamentos novos ou máquinas, é fundamental verificar as condições em que foram transportados, para garantir que chegaram em perfeito estado ao centro de distribuição.

Equipamentos já utilizados

Os equipamentos usados no dia a dia da limpeza profissional também requerem cuidado especial. Para isso, antes de guardá-los, o indicado é dividi-los em duas categorias: limpeza úmida e limpeza a seco. Equipamentos de limpeza úmida, além do contato natural com líquidos, costumam reter produtos químicos, o que pode acelerar o desgaste de seus componentes e deixar a vida útil menor.

“Itens como mop spray, balde espremedor, borrifadores ou panos de microfibra, entre outros da limpeza úmida, devem ser lavados e ter todos os químicos eliminados antes de serem guardados por longos períodos sem utilização”, aponta Danilo dos Anjos, coordenador Comercial da Kunber.

Isso acontece porque produtos químicos são afetados por condições de temperatura, luz e umidade, que influenciam diretamente no seu armazenamento e propriedades. Além disso, itens como o mop água – que têm na composição basicamente algodão – se não estiverem totalmente limpos e secos, além da deterioração das fibras, podem se tornar uma fonte de contaminação.

Já no caso dos equipamentos para uso a seco, como carros funcionais, cabos, mop pó ou outros que não costumam ter contato com químicos, uma higienização simples já é suficiente para deixá-los guardados por mais tempo – desde que o acondicionamento seja em ambiente fechado, protegido da ação de chuva, sol e poeira.

Máquinas bem guardadas

No caso das máquinas de grande porte, há vários itens a observar: o primeiro deles é em relação à fonte de energia, como explica o gerente de Assistência Técnica América do Sul da Alfa Tennant, Marcos Lupinetti:

“Para máquinas movidas a GLP, o correto é remover o cilindro e armazená-lo de forma segura; máquinas movidas à gasolina ou diesel devem ter seus tanques sempre esvaziados; e para aquelas movidas à bateria, ela deve ser retirada ou recarregada a cada três meses. Lembrando que, ao retornar ao trabalho, dependendo do tempo de armazenagem, é fundamental consultar um técnico para os devidos cuidados antes de dar a partida nos motores”.

Ainda sobre os equipamentos à bateria, é importante ressaltar que, por tratar-se de um dos itens de substituição mais caros do equipamento, é primordial seguir as instruções do fabricante, entre elas: limpar as baterias e conexões antes de guardar a máquina; verificar os níveis de água nas baterias, enchendo-as com água destilada se necessário; e remover todas as baterias de lítio de equipamentos pequenos, desconectando-as de outras peças do equipamento.

Outras dicas imprescindíveis são: drenar e limpar mangueiras e componentes de tanques de solução e recuperação; remover sacos de pó e fazer a limpeza de filtros; esvaziar caçambas de detritos das varredeiras; cuidar para que rodos e cabeçotes das máquinas estejam sempre na posição levantada; no caso de pneumáticos, verificar a pressão e colocar papelão sob os pneus para evitar que marquem o piso; e, por fim, armazenar todo o equipamento em local seco, fresco, livre de intempéries e protegido de roedores e insetos.

Em todos os casos, o armazenamento correto é a melhor forma de manter e prolongar a vida útil de máquinas e equipamentos. Mas não se esqueça: manutenção preventiva e treinamento aos utilizadores também são práticas imprescindíveis para evitar custos por trocas precoces que poderiam ser evitadas com cuidados simples.

 

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.