Protocolos de biossegurança e treinamento são fundamentais para garantir a confiança dos hóspedes

Ricardo Roman, presidente da ABIH-SP.

Duramente impactado pela pandemia do novo coronavírus o setor hoteleiro já fez a lição de casa e está se preparando para a retomada das atividades. Rigorosos protocolos de biossegurança, investimentos em treinamento e adoção de selo que atesta os procedimentos para garantir a segurança de hóspedes constam nos quesitos dos estabelecimentos filiados à ABIH-SP (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo).

Apesar de serem considerados serviços essenciais pelo Governo do Estado de São Paulo, desde o início do isolamento social, até meados de maio de 2020, entre 5% e 10% dos meios de hospedagem – dependendo da região – abriram suas portas.

No entanto em muitos municípios houve o fechamento de 100% da oferta. Para se ter uma ideia do impacto causado, um levantamento da ABIH em julho apurou que 18% dos estabelecimentos ainda permaneciam fechados. Entre os empreendimentos abertos (82%), a oferta de unidades habitacionais é de 35% e a taxa média de ocupação é de 20%.

Somente na cidade de São Paulo, onde estão concentrados – de acordo com o Observatório de Turismo e Eventos da Prefeitura – 42% dos eventos corporativos, de lazer e feiras do calendário nacional houve um registro de queda de quase 90% nas vendas.

As feiras de negócio na capital paulista geram R$ 7,3 bilhões em receita por ano para o município e atraem 8,8 milhões de visitantes. De acordo com ABRACORP (Associação Brasileira das Agências de Viagens Corporativas) as medidas restritivas impostas pelas autoridades impactaram diretamente as reservas nos meios de hospedagem, que registram queda de 74,4%. Com isso nos primeiros meses de 2020 houve perda de R$ 5 bilhões — quase metade do faturamento do setor em 2019, estimado em R$ 12 bilhões.

Turismo responsável

Selo Turismo Responsável.

Para garantir o processo de retomada das atividades o setor tem lançado mão de diversas iniciativas. Entre elas está a adoção de todos os protocolos de higiene, além de capacitação da mão de obra para receber o selo Turismo Responsável como forma de impulsionar o processo de retomada.

Disponibilizada pelo Ministério do Turismo para incentivar a retomada da atividade no Brasil, a chancela visa a demonstrar aos turistas segurança e proteção para viagens de lazer ou negócios e hospedagens nos estabelecimentos que cumpram os protocolos sanitários recomendados para a prevenção da Covid-19, além de um conjunto de orientações para os turistas.

A iniciativa é a primeira etapa do Plano de Retomada do Turismo Brasileiro, cujo objetivo é diminuir os impactos da pandemia e preparar o segmento para o retorno gradual às atividades.

Protocolos de higiene e limpeza

Para tanto, a ABIH também intensificou a disseminação dos principais protocolos de higiene e limpeza entre os associados através de vídeos. “De um modo geral podemos afirmar que o processo de retomada da hotelaria é lento, gradual e muitos dos empreendimentos dificilmente terão fôlego para resistir, caso não sejam adotadas medidas de apoio ao setor”, alerta o presidente Roman.

Ainda segundo ele para a manutenção de um empreendimento aberto é indispensável contar com equipes próprias atuantes. “Mais de 94% dos colaboradores dos hotéis abertos estão operando. ”, diz ele acrescentando ainda que, por hora, a contratação dos serviços de terceiros requer recursos complementares: “os quais serão obtidos ao longo do processo de retomada da demanda”.

Os cortes de pessoal só não foram tão significativos na área por conta das Medidas Provisórias aprovadas, que acabaram por mitigar o desemprego no setor – enquanto estiverem vigentes. “Já o estímulo para aumento na demanda por terceirização de serviços pode sim ocorrer, na medida em que a oferta dos mesmos se mostrar mais competitiva”, adianta.

Turismo nacional

Para o triênio 2020/2022, a nova presidência da entidade espera investir cada vez mais, na difusão de informações que agreguem competitividade à gestão dos empreendimentos hoteleiros, além da redução de tributos a título de incentivo da retomada da atividade responsável, direta e indiretamente, por milhões de postos de trabalho em todo o país.

A expectativa é que o turismo nacional impulsione a indústria hoteleira. De maneira ainda mais específica, a tendência é o aumento da demanda por viagens regionais, de curta distância.

“Por isso, ABIH-SP tem como estratégia promover o intercâmbio turístico entre capital, interior e litoral paulista. Afinal, além do Estado possuir a melhor malha rodoviária e aérea do país, reúne atrativos diversos nas 70 estâncias turísticas e 140 municípios de interesse turístico capazes de atender a todos os segmentos e nichos de mercado. ”, finaliza Roman.

A Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp), visando padronizar os protocolos de limpeza durante a pandemia da Covid-19, lançou um manual gratuito com as informações básicas recomendadas para auxiliar os meios de hospedagem em seus processos de limpeza e desinfecção, colaborando no combate ao novo coronavírus.

 

Clique aqui e acesse na íntegra o Manual de Procedimentos de Limpeza durante a pandemia de Covid-19 para meios de hospedagem, produzido pela Abralimp.

 

Fonte: ABIH-SP e Ministério do Turismo.

Foto: Divulgação.