Empresas expandem operações através do sistema de franchising

A pandemia não trouxe somente novos hábitos como usar máscara e passar álcool em gel nas mãos. Mais que isso, ela chamou a atenção para a importância da higienização para a manutenção de ambientes saudáveis e livres de contaminação pelo coronavírus.

E isso impactou diretamente no setor de Limpeza Profissional. Pesquisa realizada pela Abralimp (Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional), em 2020, apurou que o número de empresas do segmento saltou de 38.471 para 49.838.

Já outro levantamento realizado recentemente pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) mostrou que, no primeiro trimestre deste ano, houve um aumento de 6,6% comparado ao mesmo período de 2020.

Com isto, os empreendedores enxergam uma crescente demanda para serviços profissionais de limpeza, impulsionando o crescimento das operações através do sistema de franquias.

Neste modelo de negócio há uma relação formal entre marca e investidor. Na prática, o franqueado investe em uma franquia e toca sua operação com autonomia, desde que respeite e siga as diretrizes e orientações da franqueadora.

Renato Ticoulat, por exemplo, é um empreendedor que opera no sistema de franchising. Entre os anos de 1991 e 2002, ele foi máster franqueado da rede americana Jani-King, a maior rede de franquias de limpeza comercial do mundo.

Com o know how adquirido, ele saiu da operação e criou sua própria marca, a Zelo Serviços. Em 2010 ele rebatizou a marca como Limpeza Com Zelo. “Mas desde o início utilizei o sistema de franquia para o desenvolvimento do negócio”, conta.

Oportunidade

Cássio Nunes Siqueira, CEO da Cia das Diaristas.

O administrador de empresas Cássio Nunes Siqueira foi outro que aproveitou o conhecimento adquirido no ramo de prestação de serviços de limpeza para empreender, criando em 2013 a rede Cia das Diaristas.

“Tudo começou com uma oportunidade para atuarmos com limpeza residencial na cidade de Santa Maria (RS)”, diz. “Fazíamos, na época, muita limpeza pós-obra e nossos clientes após se mudarem para seu novo lar, nos chamavam para fazermos a limpeza pós-mudança. Vendo a oportunidade de atuar em um novo segmento, fiz um teste de mercado de seis meses para achar a melhor maneira de fornecer este tipo de serviço para meus clientes. Vimos que o ideal era trabalhar com pacotes de 04 e 08 horas de serviço”, relembra.

Mas o negócio não nasceu como franquia. “A empresa nasceu apenas como um novo segmento de mercado para atuar em limpezas residenciais”, conta. A partir daí evoluiu para franquia e hoje atua com limpeza corporativa e residencial.

Atualmente, a marca conta com nove unidades vendidas – sendo que sete já estão em operação – presentes no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Mas há planos para vender 45 franquias em 2022 e, até o final de 2025, contabilizar 315 unidades franqueadas.

Crescimento

Renato Ticoulat, diretor da Limpeza com Zelo.

 Ticoulat também está otimista. A Limpeza com Zelo (LZ) atua em todo o Brasil, com maior concentração de atividades em São Paulo e Rio de Janeiro. “Nossa expectativa é grande: terminamos 2021 com um crescimento de 35% em números de clientes, o que demanda mais 40 franqueados”, revela.

Com foco no segmento corporativo, a rede tem as atenções voltadas principalmente para clientes nacionais que contam com lojas e escritórios espalhados pelo Brasil, sem, contudo, deixar de lado outro filão que não pára de crescer: os imóveis de locação por temporada.

“Trabalhamos no mercado residencial atendendo empresas que usam plataformas como o Airbnb, os chamados anfitriões”, conta Ticoulat. Segundo dados da Airdna, consultoria especializada em análise de dados do mercado de aluguéis de curto prazo, o crescimento de imóveis ativos para locação foi de 2,5% em fevereiro de 2021 em comparação com o mesmo período do ano passado.

Já na Cia das Diaristas, o objetivo é futuramente ampliar os serviços, oferecendo material de limpeza aos clientes do portfólio, além de serviços como passadeira, zeladoria, limpeza de estofados e personal organizer.

Online

Aliás, a aproximação com o digital está apontando uma nova forma de utilização dos serviços de limpeza. Siqueira conta que sua rede, por exemplo, oferece uma plataforma de e-commerce onde o cliente final consegue fazer a compra do serviço.

Na prática, o cliente faz o agendamento da limpeza para receber a diarista no local escolhido: em casa ou na empresa. “Conseguimos aliar a limpeza com uma tecnologia que facilita a vida do cliente e do nosso franqueado”, explica o CEO (Chief executive officer).

“Também temos um marketplace e loja online onde o cliente residencial e comercial entra, orça seu estabelecimento e contrata a mão de obra, pagando com cartão de crédito ou outro meio de pagamento eletrônico”, explica Ticoulat.

Além disso, a Limpeza com Zelo dispõe de um sistema de contratação de colaboradores baseado em grupos do Facebook. “Somente os do Rio e de São Paulo já contam com mais de 25 mil participantes. Assim, quando precisamos de funcionários, fazemos um post com um link para os candidatos se cadastrarem, responderem um questionário e já fazerem um teste, que cria um ranking dos pré-selecionados. Isso compõe a base do nosso sistema de facilities de gestão”.

O diretor conta que a solução gerencia todos os trabalhos dos clientes, como ponto digital dos funcionários dos franqueados, folha de pagamento e controles diversos: de tarefas executadas, de qualidade, de consumo de produtos, entre outros.  “O sistema disponibiliza uma tela para o cliente acompanhar online tudo o que acontece, inclusive o SLA pré-definido”, diz Ticoulat.

E os planos são aumentar ainda mais a interação digital nos negócios: “vamos ampliar o marketplace para pequenas reformas, manutenção de ar-condicionado e equipamentos correlatos”, revela.

Formatação

Justamente pelo fato de operar na modalidade franquia, as duas redes estão conseguindo atingir bons índices de crescimento. “Temos nossos processos muito bem definidos. Isto faz com o que nossos franqueados consigam atingir um padrão de qualidade muito bom”, explica Siqueira.

“Franquia é uma forma de fazer negócios, poderia ser licenciamento, poderia ser joint venture e muitos outros formatos. A questão é saber como você se organiza”, ensina Ticoulat.

Por isso, segundo ele, é preciso “ter uma formatação impecável, treinamento primoroso e franqueados habilitados. Então, o desafio maior é formar estes franqueados e fazer a gestão dos problemas do dia a dia, entendendo as dificuldades para orientá-los corretamente”, ensina. Outra dica dada pelo empreendedor é contar com equipe de consultores de campo. “E parceria com a Abralimp!”, arremata.

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/ Divulgação: ABRALIMP.