Contratantes e fornecedores falam sobre manutenção de práticas e costumes na limpeza hospitalar

Limpeza Hospitalar / FreePik

A pandemia trouxe mudanças de costumes e práticas em vários mercados, principalmente com foco na limpeza e higienização. Um desses setores, que hoje vê as novidades como parte da rotina, é o de limpeza hospitalar. Contratantes e fornecedores confirmam que novas práticas foram adotadas em definitivo, com mudanças consideráveis no dia a dia — desde logística, passando pelos novos cuidados e até chegar nas demandas do mercado.

Ana Paula Araújo, do Albert Einstein / Divulgação

Ana Paula Araújo, do Albert Einstein / Divulgação

O setor, um dos focos da Feira Hospitalar que acontece entre 17 e 20 de maio, passou a adotar alguns protocolos como base. Até o momento, o ambiente hospitalar continua seguindo a Nota Técnica da Anvisa nº 07/2020, com orientações para prevenção e vigilância epidemiológica das infecções por SARS-CoV-2 (Covid-19). Para isso, ainda há preocupação em permitir as condições de higiene das mãos, monitorando frequentemente se há abastecimento com os insumos e garantindo o funcionamento dos dispensadores.

Além disso, há demarcação e orientações nos espaços, para que mantenham a distância de um metro entre as pessoas, e o reforço da obrigatoriedade da máscara facial durante toda a permanência no ambiente de saúde continuamente.

Marconi Morais de Freitas, do Sabará Hospital Infantil / Divulgação

Marconi Morais de Freitas, do Sabará Hospital Infantil / Divulgação

“A limpeza foi intensificada, principalmente nos pontos mais tocados, como elevadores, corrimãos, recepção, salas de reunião, consultórios”, explica Ana Paula Araújo, gerente de hotelaria e facilities do hospital Albert Einstein no Morumbi. “A tecnologia e inovação também têm sido fortes aliadas para maior eficiência e maior produtividade.

Marconi Morais de Freitas, coordenador de hotelaria no Sabará Hospital Infantil, complementa que, com a redução no número de casos de Covid-19, alguns controles rigorosos foram gradativamente aliviados. No entanto, a preocupação persiste. “Ao mesmo tempo, produtos, processos e equipamentos, aliados à tecnologia, sofreram avanços e melhorias que permitem a garantia da segurança dos ambientes”, explica o executivo.

Impacto para fornecedores

Maurício Ramos, do Goedert Group / Divulgação

Maurício Ramos, do Goedert Group / Divulgação

Na outra ponta do mercado, os fornecedores também confirmam as mudanças de comportamento.

Durante a pandemia, a categoria de produtos para a área hospitalar cresceu no Goedert Group, empresa de produtos e equipamentos para limpeza profissional associada à Abralimp. No entanto, eles veem um mercado que continua em alta.

“Mesmo agora, ainda temos uma alta demanda desses itens”, diz Maurício Ramos, diretor comercial. “A crise está passando, mas os cuidados incentivados durante a pandemia permaneceram. Dificilmente iremos nos comportar em um ambiente hospitalar da mesma forma como há dois anos”.

Edson Lima Lara, da Multquimica / Divulgação

Edson Lima Lara, da Multquimica / Divulgação

Edson Lima Lara, diretor executivo da Multquimica Soluções em Limpeza Profissional, associada Abralimp fabricante de produtos químicos, destaca a importância, no setor de limpeza hospitalar, de usar produtos homologados, com laudos comprobatórios e processos adequados que possam garantir a eficiência.

“A homologação dos produtos junto ao CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) tornou-se mais criteriosa, pois evidenciou-se a importância do controle da desinfecção, e a busca por produtos mais eficientes tem se mostrado uma vertente de grande importância, contribuindo para uma maior profissionalização no segmento de higiene e limpeza”, completa o executivo.

Marina Belussi, da Allia Higiene / Divulgação

Marina Belussi, da Allia Higiene / Divulgação

Hoje, esses profissionais não veem possibilidades de o mercado retroceder nessas discussões. “Com certeza esse momento trouxe um holofote maior para os cuidados com higiene e limpeza”, confirma Marina Belussi, gerente da Allia Higiene, associada Abralimp. “Assim, o que mudou foi a percepção das pessoas sobre rotinas simples no dia a dia que podem evitar contaminações, como a melhor higiene das mãos e desinfecção de itens pessoais”.

Heitor Mazziero, coordenador da área de marketing da Bralimpia, outra associada Abralimp fabricante de produtos e equipamentos para limpeza profissional finaliza chamando a atenção para algo importante: é preciso notar as diferenças que existem no País.

Heitor Mazziero, da Bralimpia / Divulgação

Heitor Mazziero, da Bralimpia / Divulgação

“Enquanto nos grandes centros temos centros hospitalares de referência, em outras partes a limpeza ainda é em um nível quase primária”, diz o executivo. “As diferenças ainda existem e aperfeiçoar o segmento de limpeza diminuindo as diferenças é o trabalho dos fabricantes, associações e entidades. Estamos trabalhando duramente.”

Higiexpo 2022

Para conhecer novidades da limpeza profissional nessa e em outras áreas, visite a Higiexpo 2002, que volta no formato presencial de 9 a 11 de agosto, no São Paulo Expo.

Saiba mais sobre o evento e faça gratuitamente a sua inscrição.

Denise Cruz e Nathalia Ueno (Abralimp), Marcelo Boeger (palestrante), Thiago Santana (A.C. Camargo) e Ricardo Nogueira (Abralimp) na Hospitalar 2022 / Abralimp

Denise Cruz e Nathalia Ueno (Abralimp), Marcelo Boeger (palestrante), Thiago Santana (A.C. Camargo) e Ricardo Nogueira (Abralimp) na Hospitalar 2022 / Abralimp

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik, divulgação e Abralimp