O World FM Day 2022 aborda a questão da sustentabilidade e celebra a importância dos profissionais de Facility Management

Facility Management / Freepik

Os Facilities Services e seus profissionais são essenciais para o funcionamento das empresas e, consequentemente, de toda a sociedade.

Garantir que uma organização funcione integrando suas áreas, solucionando os problemas e inovando constantemente para acompanhar as demandas, sem falar na administração de situações emergenciais, requer habilidade, conhecimento e muita comunicação para que os objetivos sejam alcançados.

Nesta quarta-feira (11/5), reconhecemos a importância dessa atividade e celebramos o World FM Day 2022, que neste ano traz o tema Leading a sustainable future (liderando um futuro sustentável).

A área de Facility Management inclui a gestão da prestação de serviços (os Facilities Services), seja em infraestrutura, manutenção, higiene e limpeza profissional, entre outros. De forma integrada e otimizada, coordena diferentes atividades em busca dos melhores resultados e dentro do atendimento dos padrões de qualidade e segurança inerentes ao campo de atuação.

A Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) reconhece a importância desses profissionais e acredita que o compartilhamento de experiências entre especialistas e profissionais do setor pode orientar e abrir horizontes.

Reinventar-se a cada desafio

Irimar Palombo, da Abrafac / Divulgação

Irimar Palombo, da Abrafac / Divulgação

O FM possui grandes desafios, entre eles o de manter a atualização dos profissionais, destaca a presidente da Associação Brasileira de Facility Management, Property e Workplace (Abrafac), Irimar Palombo. Ela conta que, ao passar pela pandemia, todos precisaram se reinventar, cuidar de diferentes aspectos, até então não previstos, e defende que buscar atualização para as demandas de mercado faz toda a diferença.

“E não falo de uma atualização superficial. É algo profundo sobre diferentes assuntos para que nada seja feito de modo a oferecer impacto negativo. É preciso saber como aplicar a gestão aos escritórios ou ao local que demanda o FM, de modo mais estudado”, explica Irimar.

Engenheira civil e gerente de operação de serviços, ela considera fundamental a aplicação da tecnologia na área e lança esse tema também como desafio, tendo em vista que hoje as empresas empregam diferentes tecnologias, as quais precisam conversar para que os gestores tenham os benefícios. “Sistemas que não falam entre si não são mais possíveis. É preciso simplificar as rotinas e não complexificar”, pontua.

A pandemia tornou a área mais estratégica e tudo relacionado ao ambiente de trabalho, como acessar locais, limpeza ou mesmo as condições adequadas de permanência, exigiu do FM ampla discussão num momento em que tudo era atípico.

Irimar explica que, por meio do FM com a gestão integrada das áreas – e não o olhar isolado para limpeza, vigilância ou outro -, é possível dar mais foco ao negócio, reduzindo trabalhos duplicados e conferindo maior eficiência à operação, o que resulta em economia financeira. “É preciso enxergar todos os Facilities Services, ajustar e integrar todas as áreas em gestão única.”

A especialista coloca o tema da sustentabilidade como desafio e tendência. “Com o ESG (sigla em inglês de práticas ambientais, sociais e de governança), as empresas ganham valor no mercado ao mostrar o que fazem e o FM passa a ter um papel ainda mais estratégico, porque trabalha as métricas de sustentabilidade, governança e questões sociais e essa é uma importante tendência”, analisa.

Tecnologia como aliada

A transformação digital insere-se na mesma lista de desafios e tendências. A executiva da Abrafac lembra que as empresas convivem com sistemas antigos, novas tecnologias, gestões separadas e controles distintos ao mesmo tempo. Juntar e conseguir boas informações é o desafio e a tendência do setor.

Wilson Nascimento, do Grupas / Divulgação

Wilson Nascimento, do Grupas / Divulgação

A questão da tecnologia também está entre os pontos de atenção para o vice-presidente do Grupo de Gestores de Facilities (Grupas), Wilson Nascimento. Ele ressalta a importância de utilizar as tecnologias disponíveis para facilitar o dia a dia da atividade. Para ele, a automação é um componente fundamental para as ações.

Nascimento defende a necessidade de ter um olhar especial para as questões sociais, de saber o quanto de cuidado é levado para o setor. “São olhares e desafios sobre como atuar com a prestação dos serviços adequados sem perder de vista as questões sociais e orçamentárias dos contratos firmados com as empresas, alinhando também com as questões de meio ambiente.”

De acordo com o executivo, é preciso buscar novas formas de inovar, em tudo o que for possível, sem onerar e sem perder de vista essas questões.

O Grupas defende a importância de valorizar os profissionais do setor, que executam atividades extremamente sensíveis para a sociedade. “É preciso dar atenção, ouvir, entender as necessidades e trabalhar para facilitar suas rotinas”, enfatiza Nascimento ao pontuar ainda que tais facilidades podem vir pelo uso de novos equipamentos, produtos e pela oferta de treinamentos adequados.

ESG em tudo

Rosângela Dobre Manteigas, do Grupo Mulheres de Facilities / Divulgação

Rosângela Dobre Manteigas, do Grupo Mulheres de Facilities / Divulgação

Além dos aspectos mencionados, é inegável que a sustentabilidade ganha cada vez mais espaço no setor. Na análise da presidente executiva do Grupo Mulheres de Facilities, Rosângela Dobre Manteigas, a questão é destaque não só para o FM, mas para tudo. “ESG é para todos. Estudamos muito e temos resultados positivos. É uma tarefa delicada. É uma realidade.”

Para ela, é preciso preparo e caminhar com a visão de que, para tudo o que se fizer, deve-se passar pela sustentabilidade. Atenta, ainda, para o fato de que é necessário saber que há um investimento sem retorno imediato. Explicar para a empresa que o retorno é no longo prazo e que não é somente financeiro, mas ambiental e de importância para o futuro é um trabalho árduo e fundamental na visão da especialista, que alerta para o fato de que podem vir exigências de certificações, que deixarão a empresa fora do mercado quando não cumpridas.

Rosângela lembra que o ESG está em evidência, mas não é novidade para os profissionais do setor, pois está no contexto das atividades e é tema muito bem tratado em palestras e encontros.

Na liderança do Grupo Mulheres de Facilities, Rosângela conta que a evolução da participação feminina no setor percorreu uma longa caminhada para poder trazer à tona a visão de que não é uma função masculina. Hoje, há uma equivalência e muitas mulheres estão à frente de projetos. “Defendo que todos são iguais e que o importante é o que a pessoa sabe fazer. Tínhamos um mundo masculino em que a mulher era secundária e hoje elas estão em caminhos e postos estratégicos.”

É preciso buscar capacitação

A executiva avalia que a capacidade técnica da mulher e a habilidade para fazer muitas coisas ao mesmo tempo facilitaram bastante a abertura do mercado. “Temos no grupo mil mulheres e um grande número delas participando de cursos e buscando aprimoramento. Entendo que as dificuldades são para todos, homens e mulheres. Não queremos diferenciar pessoas.”

Ressalta, ainda, que todos devem buscar conhecimento e aprimoramento diante das mudanças que ocorrem todos os dias na legislação, nas normas técnicas, como as da ABNT, e demais regulamentações. Considera como desafio o modo de lidar com as pessoas e administrar os diferentes comportamentos, até mesmo em razão da pandemia, que afetou – e ainda afeta – muitas pessoas. “Ter que sair de um ambiente fechado, da proteção da casa e retornar para o espaço público foi uma barreira para muitos. É uma batalha de todos”, pontua.

O importante no balanço dos especialistas é que o setor de FM tem se desenvolvido no País e conquistado visibilidade. De acordo com Irimar, o reconhecimento dos feitos vem com a seleção de três projetos ganhadores do Prêmio Abrafac 2021 para estar entre os finalistas do Global FM Awards of Excellence: sobre sustentabilidade, design global para um site e o terceiro no campo de neutralidade de carbono.

Encontro nacional

Neste ano, paralelamente à Higiexpo, será realizado o IV Encontro Nacional de Facility Management e o Fórum Internacional de FM, de 9 a 11 de agosto, no Expo São Paulo.

Saiba mais sobre o evento e faça a sua inscrição.

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik / Divulgação