Paul Doherty, que está na lista dos 80 maiores influenciadores em construção do mundo, fará a palestra de abertura do Fórum Internacional de Facility Management, durante a Higiexpo 2022

Fórum Internacional de Facility Management

A questão das cidades inteligentes (smart cities) ganha cada vez mais espaço na mídia e nos debates entre governantes e especialistas sobre o futuro das sociedades e como elas devem se preparar para atender às demandas estruturais, socioeconômicas e de sustentabilidade.

O nome nos remete à ideia de fazer uso de recursos e sistemas tecnológicos avançados para tornar o cotidiano mais prático.

Certamente, o conceito passa pelas tecnologias digitais e sua conexão com a vida das cidades, melhor dizendo, com os habitantes, estruturas, necessidades e os desafios que surgem diariamente.

O importante é saber que a tecnologia é um dos instrumentos para alcançar eficiência em serviços, sustentabilidade, governança, planejamento e melhor uso do capital disponível.

Paul Doherty, fundador e CEO do The Digit Group, Inc., empresa líder em design, construção, operação e soluções de smart cities, com sede em Memphis, nos Estados Unidos, é um renomado especialista sobre o assunto e expande os debates para a importância do Facility Management no contexto das cidades.

Ele integra a lista dos 80 maiores influenciadores em construção do mundo e defende que as cidades inteligentes se mostram como solução para uma situação séria e urgente que o mundo enfrenta hoje, com a intensificação da migração para ambientes urbanos, em que programas, políticas e procedimentos precisam ser aplicados de modo eficaz.

Conhecer o DNA digital

“Evoluir para uma cidade inteligente significa conectar elementos aparentemente diferentes, trabalhar como um organismo saudável e, para isso, devemos focar nossos esforços coletivos”, argumenta ao ressaltar que é preciso caminhar em direção ao emprego de dados e ter um DNA digital, fazendo uso adequado, rigoroso e integrado das vastas soluções de tecnologia da informação (TI).

“A questão não é se a cidade tem os dados adequados para se tornar uma cidade inteligente, a questão é como [usar esses dados]”, pontua.

Doherty estará no Fórum Internacional de Facility Management, que acontece entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo, durante a Higiexpo 2022, maior feira de negócios do setor de limpeza profissional.

Paul Doherty / Divulgação

Em sua palestra, com o tema Management, smart cities and South America: pitfalls, opportunities and a path forward, que abre o evento, Doherty quer levar o público a pensar a cidade como uma rede, em que cada prédio age como um servidor, cada qual com seus dados (design, construção) sob a forma de Facility Management & Building Automation.

“Quando esses dados individuais de construção estão conectados à rede da cidade, potencialmente através de uma política de dados abertos, coisas interessantes começam a acontecer”, ressalta.

Para ele, profissionais de FM e suas cidades devem considerar, ao desenvolver um plano de DNA digital, questões legais e de direito sobre a propriedade intelectual de quem possui os dados e o modelo, passando por planejamento e design, operações de instalações, gestão de ativos, manutenção, gestão de documentos, saúde ambiental e segurança.

Descobrir soluções

Somente com todos esses aspectos considerados é que soluções podem surgir e apontar para uma cidade inteligente.

“As cidades são um espelho para os valores de nossa civilização. No centro, as soluções smart city, grandes e pequenas, têm a oportunidade de ajudar na criação de um ambiente para que as pessoas prosperem de forma acolhedora, inclusiva e aberta. Melhorias básicas de serviço, confiabilidade e construção de confiança são os pilares de uma estratégia bem-sucedida da cidade inteligente.”

A adoção de medidas inteligentes conduzirá para o gerenciamento eficaz de processos que possam permitir reduzir o consumo de água, projetar prédios que melhor utilizem os recursos e assim evitar perdas e desperdícios, e implantar serviços com total observância de questões sustentáveis.

Importância do Facility Management

A área de Facility Management inclui a gestão ou gerenciamento da prestação de serviços (os Facilities Services) em infraestrutura, manutenção, higiene e limpeza profissional, entre outros, em ambientes internos e externos.

Trata-se da forma integrada e otimizada para coordenar as diferentes atividades em busca dos melhores resultados e dentro do atendimento dos padrões de qualidade e segurança inerentes ao campo de atuação.

Os cuidados com o gerenciamento das atividades de limpeza e conservação estão intimamente relacionados aos processos para evitar manutenções desnecessárias e avarias em equipamentos, conter desperdícios de água e pensar o seu reúso, escolher produtos de limpeza adequados e ter equilíbrio no seu uso.

A Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp) reconhece a importância da área de FM e de seus profissionais e aposta na troca de experiências e informações para o desenvolvimento e evolução do setor.

Fórum Internacional de Facility Management

Profissionais do mercado de Facility Management terão uma oportunidade única para conhecer e discutir as tendências e práticas do setor pelo mundo.

O Fórum Internacional de Facility Management é uma área com conteúdo premium e exclusivo do IV Encontro Nacional de Facility Management, que será realizado de 9 a 11 de agosto, no São Paulo Expo, nos pavilhões 6 e 7.

Terá a presença de grandes nomes do mercado internacional para compartilhar conhecimento e os novos temas relacionados ao segmento.

Confira a grade de palestras e aproveite a oportunidade de saber como os países estão conduzindo a formação das cidades inteligentes e como os profissionais aqui do Brasil precisam se preparar para esse futuro que já bate à porta.

Acesse o link para conhecer as informações sobre o Fórum e realizar a sua inscrição: Inscrição Fórum Internacional de Facility Management (sigevent.com).

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik e divulgação