Sílvio Guerreiro descreveu vários aspectos para alcançar o domínio humanizado e positivo da liderança

‘A quantas anda o seu conhecimento dos conceitos básicos de limpeza profissional?’.  Foi com essa pergunta instigante que o consultor e especialista em Limpeza, Sílvio Guerreiro, deu partida na palestra ‘Liderança técnica operacional para limpeza profissional’, no último dia do Higicon 2021. A exposição teve como objetivo apresentar aos encarregados de equipes, de prestação de serviços de limpeza profissional, como melhorar o desempenho e, assim, atingir padrões de qualidade mais adequados.

Para o especialista, o conhecimento técnico da área é fundamental. “Não basta simplesmente querer ser líder, para alcançar a liderança qualificada são necessárias habilidades técnicas, que consistem no conhecimento especializado e na perícia para executar determinados parâmetros, processos e procedimentos. Enfim, você tem que saber fazer as coisas, pois se não souber fazer, como irá cobrar dos outros? E outra: quando a equipe percebe que o líder não domina o assunto, aí começam os problemas”, advertiu Sílvio Guerreiro.

Outra habilidade importante é com relações humanas. “Tem que gostar de lidar com gente, pois para trabalhar com pessoas é preciso ter muita paciência. E essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida. Então, se consegue se comunicar, motivar e entender as pessoas com as quais trabalha, já é meio caminho andado para exercer uma liderança genuína”, ressaltou.

As funções para um encarregado de sucesso também foram elencadas. A primeira: planejamento. “O senso comum diz que realizamos melhor o trabalho quando sabemos o que estamos tentando alcançar. Dessa forma, o planejamento feito é para determinar como os colaboradores poderão contribuir para atingir as metas”. Organização é o passo seguinte. “Assim sempre podemos antever possíveis emergências.

A seleção qualificada dos membros da equipe é outro ponto. “O desempenho está diretamente relacionado com a qualidade dos resultados alcançados por essa equipe”. E por fim: a liderança. Guerreiro explicou que os líderes compreendem o que é esperado deles, estimulando e motivando o bom trabalho. “Influenciar os colaboradores a agir, de certa forma, consiste na função da liderança.

Para arrematar a exposição, Sílvio destacou que um bom líder deve ter cabeça, coração e estômago. “Rigor intelectual, integridade e valores como compaixão e força para aguentar críticas e ataques são características primordiais de um bom líder. E a liderança é fazer com que as pessoas façam o que é preciso com o desejo espontâneo de fazê-lo”, encerrou o consultor.

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.