Como se reinventar para atender as novas demandas em tempos de pandemia

Em tempos de pandemia as empresas do mercado de limpeza profissional precisaram se reinventar para atender as demandas e acompanhar as novas exigências impostas pelo coronavírus.

E uma das principais mudanças foi a adequação ao mundo digital. Para falar sobre os desafios e as soluções encontradas, o Higiplus Entrevista conversou com Thiago Kuin, fundador da Loja do Profissional.

“Nossa empresa nasceu digital e isso foi uma vantagem naquele momento. E as pessoas pensam que atrás de um e-commerce não existe uma empresa tradicional. Mas se enganam! Existem pessoas e uma estrutura do lado de cá”, explica.

Apesar de já estar acostumado com as ferramentas digitais ele relembra que foi preciso se adaptar para dar conta da demanda – que havia triplicado – mas com apenas 50% do contingente de colaboradores.

“Isso foi brutal!”, conta o empresário, justificando que se por um lado o comércio eletrônico foi favorecido pelas medidas de distanciamento social, por outro foi um grande desafio dar conta da exponencial procura pelos produtos e insumos.

“Por mais que as lojas físicas tenham passado por aumento na demanda, ainda assim não foi de 10, 15 vezes o volume como ocorreu no comércio eletrônico”, acrescenta Kuin.

Segundo ele, a explicação para isso é que a pandemia impactou diretamente no costume das pessoas, que passaram a ver na internet uma forma segura de consumir não apenas produtos, mas também conteúdo relevante.

Auxílio aos clientes

Na lista de desafios, outro foi citado pelo convidado: quando os serviços de entrega entraram em colapso. “Tivemos que suprir os gargalos, buscar tecnologias e parceiros para encontrar soluções”.

Com um portfólio composto por empresas de diversos perfis – em especial os pequenos empreendedores – o executivo acabou percebendo também que era preciso auxiliar a clientela.

“Na contramão de tudo o que estava acontecendo, chamamos os maiores fabricantes do Brasil para treinar esses micro-empreendedores em desinfecção de ambientes, demanda criada naquele momento”, conta.

O resultado foi uma adesão em massa e uma grande lição: “foi muito curioso, pois justamente quando todos estavam fechando lojas e abrindo comércio eletrônico fizemos o caminho contrário e abrimos um canal de atendimento físico para amparar os clientes. Com isso acabei ouvindo que também estávamos fazendo um trabalho social”, ensina.

 

 

 

Clique aqui para assistir ao bate-papo na íntegra!

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/ Divulgação: ABRALIMP.