Abralimp participa da Feira Fispal, oportunidade para conhecer produtos e serviços adequados para limpeza no mercado de bares e restaurantes

Bares e restaurantes / Freepik

Ter um ambiente limpo é fundamental em qualquer tipo de negócio, mas em estabelecimentos que oferecem alimentos e bebidas tal condição fica ainda mais no foco dos gestores, frequentadores e, claro, da fiscalização.

Pelas características das atividades relacionadas ao ramo de alimentos, muitas regras e padrões precisam ser observados, conforme orientado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por meio da Resolução nº 216/2004, que aprova o Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação.

Com a pandemia, entre aberturas e fechamentos, proprietários de bares e restaurantes tiveram de lidar ainda mais com a necessidade de intensificar os procedimentos de limpeza, para garantir uma eficiente higienização e desinfecção de superfícies, utensílios e locais de convivência.

“Sempre foi importante ter procedimentos de limpeza e sanitização em áreas de bares e restaurantes, tanto por força da atividade como da lei, que sujeita os locais à fiscalização e vistorias para cumprir normas municipais. Isso é algo que os empresários têm de estar conscientes. Com a pandemia, quem ignorava ou às vezes relaxava em atender tais práticas teve que buscar se aprimorar”, explica Marco Amatti, empresário e diretor adjunto da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

Bares e restaurantes: Marco Amatti, diretor adjunto da Abrasel / Divulgação

Marco Amatti, diretor adjunto da Abrasel / Divulgação

Amatti ressalta que não houve necessidade de mudar a legislação, mas de ter a conscientização dos proprietários para aplicar as normas vigentes e entender a importância de usar produtos profissionais que, ao contrário do que se possa imaginar, levam a custos menores quando feita a conta final dos benefícios e verificados os impactos positivos para a empresa.

Novidades e tendências do segmento de limpeza profissional poderão ser verificadas na nova edição da mais importante feira da América Latina para o setor de embalagens, processos e logística para as indústrias de alimentos e bebidas, a Fispal Food Service, que tem início nesta terça-feira (7/6), em São Paulo.

Boas práticas

De acordo com Fábio Patelli Stort, diretor-geral da Elfen, fabricante de produtos para limpeza e empresa associada Abralimp, é importante que os estabelecimentos tenham bem definidos os métodos de limpeza e higienização, com produtos e equipamentos adequados e pessoas treinadas para executar os processos.

O executivo destaca que a pandemia promoveu adaptações ao modelo de negócio, estimulando o delivery e o conceito dark kitchen (aquela cozinha que não aparece para o cliente, estruturada para entregas). Para ele, o retorno tem se mostrado positivo, com público ávido por frequentar os estabelecimentos e um novo comportamento dos proprietários de bares e restaurantes.

Bares e restaurantes: Fábio Patelli Stort, diretor-geral da Elfen / Divulgação

Fábio Patelli Stort, diretor-geral da Elfen / Divulgação

“Percebemos uma conscientização maior dos donos e gestores em relação à importância da higiene e limpeza para o estabelecimento. O que antes era custo e item não tão relevante, passou a ser enxergado como investimento e marketing para a empresa, que se mostra preocupada em dar segurança aos clientes”, avalia Stort.

A demanda por produtos adequados de limpeza cresceu bastante. “Antes, muitos bares e restaurantes utilizavam produtos domésticos e, hoje, buscam por itens profissionais, que são mais concentrados e, portanto, rendem mais, específicos para desinfecção e que também asseguram maior cuidado para quem manipula”, diz Stort.

Produtos com registro

A importância de trabalhar com produtos adequados, com registro e notificação da Anvisa são pontos a que os estabelecimentos devem estar atentos, aconselha Helder Takashi Shinkawa, coordenador técnico da Spartan Brasil, fabricante de produtos químicos institucionais.

Helder Takashi Shinkawa, coordenador técnico da Spartan Brasil / Divulgação

“Na prática, isso assegura que, se o produto informa ter ação desinfetante e é registrado no órgão, então, ele realmente está adequado para o fim a que se propõe”, completa Shinkawa, que também é graduado em engenharia de alimentos.

Shinkawa explica que a limpeza precisa levar em conta o tipo de superfície e a espécie e grau de sujidade para saber qual o produto certo a ser aplicado. “Isso é muito importante, que as pessoas saibam que existem produtos certos para cada tipo de superfície e sujidade.”

Como exemplo, cita que todos estão acostumados ao uso do cloro, que é eficaz para desinfecção. Porém, lembra que o produto passa pela questão do odor, das manchas que provoca e, por ser altamente oxidante, é prejudicial para superfícies metálicas e para quem manipula.

Importância da limpeza e desinfecção

Muitos estabelecimentos adotam, além do cloro, o álcool 70% para a limpeza, mas esse produto é voltado para a desinfecção, sem capacidade de remover a sujeira, explica Shinkawa, ao enfatizar, ainda, que ao ser aplicado sobre superfícies que não estão limpas acabam até perdendo a sua função de desinfetar.

“Destacamos os produtos dois em um, ou seja, que limpam e desinfetam. Nesse aspecto, o peróxido de hidrogênio, que é a água oxigenada, tem se mostrado altamente eficaz, além de contribuir para a preservação do meio ambiente”, conta Shinkawa.

Sidney Valeije, diretor comercial da Fortcom / Divulgação

Muitos produtos passaram a ser mais requisitados por bares e restaurantes em função da pandemia.

É o caso também de saboneteiras, dispensers e acessórios para mesas e banheiros dos locais, relata Sidney Valeije, diretor comercial da associada Abralimp, Fortcom, empresa especializada no desenvolvimento, fabricação e montagem de dispensers e acessórios para o segmento de higiene institucional.

O executivo conta que o faturamento da empresa em relação aos dispensers aumentou em torno de 200%, exigindo três turnos de trabalho no pico da pandemia. Em contrapartida, outros itens, como toalhas de papel, tiveram queda de vendas, justamente pelo tempo em que os estabelecimentos permaneceram fechados ao público.

Inovações

As inovações para o setor crescem em ritmo acelerado e buscam oferecer aos clientes melhores serviços, garantindo segurança e economia. Sarah Alvarez Sampaio, gerente de marketing da Tork, empresa de produtos de higiene para locais de trabalho, diz que essa preocupação está presente nos itens comercializados pela empresa.

Sarah Alvarez Sampaio, gerente de marketing de Tork / Divulgação

Como exemplo, cita modelos de guardanapeiras desenvolvidos para oferecer resistência e garantir a redução de desperdício, pois dispensam uma folha por vez, ao mesmo tempo que reduzem o risco de contaminação cruzada, já que o usuário só toca no guardanapo que vai utilizar.

Sarah considera que as questões operacionais como higiene e limpeza, apesar de não serem a atividade principal do estabelecimento, são pontos fundamentais para a satisfação dos clientes.

“Afinal, quem gosta de entrar em um banheiro de um restaurante e encontrar um ambiente sujo e inadequado? É o tipo de situação que abala diretamente a credibilidade e a confiança de um estabelecimento”, pontua.

Segurança é diferencial

Valeije já empreendeu no ramo de restaurantes e argumenta que a questão da limpeza é algo indispensável para criar uma relação de confiança entre o cliente e o local. “Um ambiente limpo é mais respeitado e o consumidor acredita que a comida é tratada da mesma forma”, compara.

Na opinião do diretor adjunto da Abrasel, procedimentos que eram roteirizados para banheiros passaram a valer para todo o restaurante e isso se tornou um marketing de segurança, que hoje é o principal requisito para as pessoas que frequentam os locais. “O cliente passou a exigir essa atenção. Ele é o principal agente para os procedimentos assertivos dos bares e restaurantes.”

Outro aspecto é que, ao contrário da suposta economia, que muitos proprietários desses locais acreditam fazer ao comprar produtos de qualidade inferior, a reposição com maior frequência, por exemplo ao usar papéis finos, os quais demandam muitas folhas, acaba por eliminar a diferença de preço e sinaliza para o cliente uma visão negativa sobre a atenção com a qualidade de serviços, ressalta Valeije.

O uso de produtos inadequados, além de não proporcionar a correta limpeza e desinfecção dos locais, ainda pode sujeitar o estabelecimento a penalidades.

Amatti explica que a prática de empregar produtos sem origem determinada e sem um químico responsável é um dos motivos de notificação e possível autuação por parte da fiscalização. “A notificação é a primeira medida e dá a chance da empresa se corrigir em relação ao aspecto da higienização”, informa. No caso de procedimento que ofereça perigo à saúde pública, o local pode ser autuado diretamente.

Assim, torna-se fundamental conhecer e estar antenado com o que o mercado oferece entre as opções de produtos e serviços de limpeza profissional para o setor.

Oportunidades na Fispal

Entre os dias 7 e 10 de junho de 2022, a Fispal Food Service e a Fispal Sorvetes estão unidas para receber o público no Expo Center Norte, em São Paulo. A edição será híbrida e, assim, as pessoas podem visitar o pavilhão ou acompanhar de forma digital.

A feira reunirá as principais empresas do setor, contará com uma programação diversificada para atender a um público qualificado, com oportunidades de negócios e intenso networking.

Shinkawa destaca que a Spartan levará para a Fispal sua linha de produtos sustentáveis, bem como produtos de sua revenda no segmento de ferramentas sanitárias como esfregões e vassouras apropriadas para o setor de alimentos e que atendem às características para evitar a contaminação cruzada.

A Elfen lançará na Fispal o seu manual sobre higienização e limpeza de restaurantes. Trata-se do Protocolo de Boas Práticas para Higienização de Bares e Restaurantes, com toda riqueza de informações, elaborado pela equipe técnica da empresa e validado pelos distribuidores especialistas em bares e restaurantes. “Ele traz dicas sobre equipamentos e EPIs, com ampla visão das rotinas de limpeza e sanitização para a área de food service”, enfatiza Stort.

A empresa também apresenta sua linha de produtos focados em food e de cuidados para mãos, estes com laudos de eficácia contra as principais bactérias presentes nos ambientes de bares e restaurantes.

As expectativas são grandes, de acordo com a gerente de marketing da Tork. “Reencontrar presencialmente clientes e parceiros em uma feira tão importante como a Fispal é energizante para todo o setor de food service e o tema Alimentação fora de casa não poderia ser tão aderente nesse momento de retomada após um momento desafiador para o mercado”, ressalta.

A empresa vê a feira como a oportunidade de reapresentar e reforçar toda a linha de higiene superior, com soluções que atendem todos os espaços de um estabelecimento, desde a cozinha com os panos descartáveis, passando pelos balcões, salões e banheiros.

Já a Fortcom estará pela primeira vez na feira. “Será um evento teste, para entender a feira e buscar novos contatos com distribuidores e com o cliente final”, explica Valeije ao pontuar que o mercado vive um momento bem diferente, com muitas opções e oportunidades entre os produtos nacionais, com as importações afetadas pela alta do dólar e pelas dificuldades relacionadas aos fretes internacionais.

Ilha Abralimp

A Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp), entidade que atua em prol da limpeza profissional e na promoção da saúde das pessoas, estará presente na Fispal com a Ilha Abralimp, dedicada a empresas que oferecem soluções para higiene e limpeza em negócios de food service.

A visita ao estande é uma oportunidade para conversar com a equipe da Abralimp e saber mais sobre as iniciativas para o desenvolvimento do mercado de limpeza profissional.

Além disso, associados da entidade marcam presença na Fispal, expondo seus produtos e serviços nos quatro dias do evento.

As informações sobre credenciamento, programação e atividades oferecidas pela feira podem ser conhecidas no site da Fispal.

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik e Divulgação