O mundo está cada vez mais rápido, mais exigente, mais imediatista. No dia a dia das operações de Limpeza, já não é mais possível aceitar que evidências sejam procuradas em pilhas de papeis ou que se demore dias até que gerentes e supervisores implantem uma ação corretiva ou justifiquem um problema.

Nos últimos anos, houve um aumento no uso da tecnologia em operações de empresas de limpeza. A implementação ocorreu por inciativas internas ou mesmo por exigência dos clientes. O fato é que, agora, higienização, computação em nuvem, IoT e Business Intelligence (BI), entre outros, já fazem parte de uma mesma realidade.

Neste cenário, a digitalização chega com o papel de dar suporte à especialização nos serviços, trazer mais vantagem competitiva, aumentar a produtividade e melhorar a experiência do cliente. Com ela, evidências, dashboards, KPIs e uma infinidade de informações podem ser acessadas a qualquer momento, de qualquer lugar.

E essa não é uma perspectiva possível apenas a grandes empresas. Com a tecnologia se tornando cada dia mais democratizada, pequenos e médios negócios podem se beneficiar do contexto do Big Data como um aliado estratégico na gestão de seus processos. Conheça nesta reportagem exclusiva da HigiPlus, as principais novidades disponíveis na limpeza 4.0.

Gestão de operações em tempo real

Imagine um ecossistema digital completo, voltado à gestão operacional das prestadoras de serviços, que garanta mobilidade em todos os processos via aplicativo. Esta é a solução desenvolvida pela Namoa Digital.

“Fornecemos hoje pacotes com software em nuvem, que têm como vantagem possuir alto grau de customização pelo próprio usuário, sem depender de profissionais de TI”, explica o CEO da empresa, Stephan Gruner.

Entre esses pacotes estão: Ferramentas para a Operação (controle de visitas com registro de não-conformidade; controle de execução dos serviços baseado em inspeções de líderes ou agentes de limpeza; soluções para atendimento de chamados via QR Code etc.); Ferramentas para Áreas Corporativas: Qualidade e SESMT; BI Completo (dashboards operacionais ou gerenciais com BI integrado); Soluções IoT (integração de sensores para monitoramento dos ambientes e fluxo de pessoas), entre outros.

“A principal vantagem é que os gestores conseguem monitorar em real-time o desempenho das equipes em cada contrato”, diz Stephan. “Outro ponto crítico é responsabilizar os gestores sobre o controle de ativos (máquinas de limpeza, por exemplo) quanto a sua localização e custo de manutenção. Existem casos em que há a perda de um equipamento com valor na casa dos seis dígitos. Com o controle por meio da tecnologia, há uma responsabilização clara sobre a localização de cada equipamento, além do controle de chamados para manutenção (e preventivos), resultando na transparência dos custos e dos tempos de atendimento para cada equipamento, evitando a perda de ativos”.

Automatização descomplicada

Como já dito no início da reportagem, tecnologia não é algo restrito a grandes empresas. Quer uma prova? Há soluções que já estão a um click de distância, bastando acessar a loja de aplicativos de seu celular.

É o caso do EBST Forms, um aplicativo disponível para Android e IOS, que nasceu com a missão de ajudar empresas a fazer o controle de suas operações.  “A função desse sistema é automatizar registros de campo como relatórios, checklists, solicitações de material, pesquisas de satisfação, entre outros”, explica o diretor de Engenharia da startup EBST, Anderson dos Reis Silva.

Todos os recursos ficam acessíveis por meio de uma plataforma 100% em nuvem, permitindo controlar as operações de modo fácil, com relatórios via smartphone, possibilidade de inserir fotos e assinaturas, salvar formulários mesmo em modo offline, e compartilhar documentos com os clientes em tempo real, além gerenciar, exportar e integrar dados.

“Com isso, ajudamos as prestadoras a crescer, ampliando sua produtividade e usando uma plataforma padronizada e ágil, com foco na execução dos serviços”, completa.

Um pé na história, outro na inovação

O que acontece quando se une anos de experiência com um toque de modernidade? A GTP Paulista, que faz parte do Grupo GTP, é a mais antiga limpadora do Brasil, fundada em 1927. Prestes a ver a empresa completar 100 anos, o CEO, Alexandre Kuperman, decidiu criar uma startup para desenvolver soluções de planejamento e gestão operacional de serviços – não só voltadas à sua empresa, mas também disponíveis a todo o mercado.

“A motivação de fundar a Zellar como uma startup autônoma aconteceu ao perceber o resultado financeiro e de redução de trabalho que ela poderia trazer ao mercado”, explica Alexandre.

Hoje, a Zellar fornece módulos integrados voltados a: Planejamento de Pessoal (controle de quadro previsto/realizado; Ponto Online (gestão de presença dos colaboradores); Folha de Pagamento (sistema de folha online); Colaborador (melhoria da qualidade e satisfação na relação entre colaborador e gestor); Contratação (digitalização de todo o processo de admissão); e Chamados Operacionais (centralização das demandas do cliente).

Entre os resultados constatados estão a redução em 100% das horas extras não autorizadas; redução de 30% nas faltas; aumento da pontualidade em 400%; redução de 80% nos questionamentos de ação trabalhista sobre horas; redução de sete para apenas um dia para o fechamento da folha; redução de 98% nos erros de pagamento; e aumento da lucratividade de empresas de mão de obra intensiva entre 2% e 5%.

“O GTP foi um ótimo local para testes e confirmação de resultados. Mas por que manter uma ferramenta em apenas uma empresa? Por que não oferecer a outras limpadoras? Será que ela não se tornaria melhor tendo contato com as necessidades de diferentes clientes? Claro que sim! Hoje, temos uma ferramenta em evolução contínua, o que beneficia todas as empresas usuárias, incluindo o GTP”, finaliza.

Rastreabilidade, banco de dados e menos gasto de tempo

A Verzani&Sandrini também vem representando o setor de Limpeza Profissional quando o assunto é inovação.

Além de contar com tecnologias de atendimento ao cliente de forma remota por meio de um robô (que torna possível o diálogo entre cliente e operador móvel, com atendimento remoto e portaria virtual), a empresa conta com Sensores de Rastreamento de Radiofrequência (que monitoram fluxos de pessoas e lotação de espaços); Sistemas de Gestão de Condomínios (para monitoramento de acesso de visitantes, gestão de encomendas e estacionamento, incluindo reconhecimento facial); e Projetos para Gestão Hospitalar (com sistema integrado digital para facilitar auditorias, double-check e relatórios online). E, agora, a empresa está levando a limpeza 4.0 também aos shopping centers.

“Nosso foco é a tecnologia e a digitalização de processos com vista à otimização das operações”, destaca o diretor Executivo de Mercado, Inteligência e Inovação, Gauthama Nassif. “Entre as soluções para o segmento de shoppings, gostaria de destacar três: o VS-Task, que consiste em um checklist eletrônico, onde todas as atividades da equipe de higienização são programadas e evidenciadas digitalmente. O Tickets-VS, que serve para os clientes finais do shopping avaliarem a limpeza do banheiro ou realizarem a abertura de solicitações de atendimento através da leitura de um QR Code – que o time de operações recebe de forma imediata. E o GAV Interativo, ferramenta voltada à liderança, para gestão on time da localização do colaborador, verificação de faltas, controle sobre atividades realizadas ou não, e verificação de novas demandas”.

O resultado é uma maior rastreabilidade, geração de banco de dados e menor gasto de tempo, com os serviços sendo executados quatro a cinco vezes mais rápido.

E o cliente aprova: “Estamos bastante ansiosos pela implantação total do Projeto Limpeza 4.0 no Shopping ABC. Teremos mais confiabilidade e agilidade na execução dos serviços, uma vez que o processo será amplamente rastreável, facilitando os reparos ou ajustes emergenciais e pontuais na operação”, comemora Joelmir Oliveira, gerente de Operações do shopping. “Também teremos uma ferramenta associada à expertise do nosso negócio, ajudando no planejamento de médio e longo prazo de redimensionamento de equipes, compra de insumos e equipamentos. E, por fim, o cliente final terá a possibilidade de opinar e nos dar um feedback sobre os nossos serviços o que, para nós, é objeto de orgulho, já que viabiliza maior proximidade, nos possibilitando buscar inovações do setor de shopping centers e do próprio varejo”.

 

 

 

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.

 

HigiAds