Especialistas indicam as melhores formas para que empresas do setor de limpeza profissional mantenham a saúde financeira de seus negócios

Planejamento / Freepik

Planejamento financeiro. São apenas duas palavrinhas, mas que fazem todo o sentido para o sucesso de um negócio. Afinal, esse termo, que abrange uma série de medidas para o empreendedor ter atenção, cuidado e estratégia na hora de comandar financeiramente a sua empresa, ganha ainda mais relevância em tempos de incertezas e, no setor de limpeza profissional, pode ser determinante para que o pequeno e médio empreendedor prospere.

Luiz Carlos Gonçalves, UniAbralimp / Divulgação

Luiz Carlos Gonçalves, UniAbralimp / Divulgação

“Ainda falta conhecimento de como se dá o fluxo do dinheiro no nosso setor, já que primeiro investimos, trabalhamos, pagamos colaboradores, benefícios e impostos, e somente recebemos depois de 60 dias em média”, comenta Luiz Carlos Gonçalves, instrutor da UniAbralimp. “É preciso adotar boas práticas financeiras e manter bons relacionamentos com o sistema bancário para fazer girar uma empresa do nosso mercado”.

Antes de fazer o planejamento, é importante ter capacitação. “Conhecer sobre finanças é fundamental para o desenvolvimento e crescimento de qualquer negócio. O empresário que não separa, por exemplo, as finanças pessoais das contas da empresa, está fadado ao fracasso”, contextualiza Maurici Dias Gomes, diretor de Serviços na Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB). “Portanto, conhecer o básico de finanças, certamente, irá ajudá-lo a gerir bem o seu negócio e torná-lo lucrativo”.

Como fazer um bom planejamento?

Ernesto Brezzi, consultor / Divulgação

Ernesto Brezzi, consultor / Divulgação

Antes de tudo, é preciso entender que o planejamento financeiro vale para todos. “É essencial para qualquer tamanho de empresa”, diz Ernesto Brezzi, consultor e ex-presidente da Abralimp. “Ele traz clareza para identificar quais recursos estão disponíveis para uma tomada de decisão com base em informações sólidas, sejam elas gastos, faturamento e principalmente lucro. Não podemos esquecer que o crescimento da empresa é vinculado à política adotada pela empresa, por isso aconselhamos sempre investimentos em planejamentos realistas”.

Depois, com essa clareza que o planejamento financeiro é para todos, chega a hora de se organizar com boas práticas.

“Uma boa forma para começar qualquer tipo de empreendimento é elaborar um Plano de Negócios, pois não basta ter uma boa ideia, é preciso analisar a sua viabilidade e planejar a implementação”, diz Maurici. “Em linhas gerais, é um documento que descreve, por escrito, os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para alcançá-los – uma espécie de mapa que irá representar os caminhos a serem percorridos, visando o sucesso do empreendimento. É importante ressaltar que ele deve ser escrito a partir de uma pesquisa e análise de mercado, com informações e dados reais que irão nortear o negócio.”

Maurici Dias Gomes, da CACB / Divulgação

Maurici Dias Gomes, da CACB / Divulgação

Brezzi complementa que é importante que o empreendedor sempre tenha informações à mão sobre seu setor e seu negócio — do passado, presente e futuro. “Faça uma análise da situação financeira atual, faça projeções. Quando temos objetivos bem definidos, status atual e objetivo final é importante dividirmos em metas. Tenha sempre um ‘dono’ para cada etapa, avalie a necessidade de contratações, recursos necessários, monitore o resultado, avalie resultados atingidos, motivação, consulte seus pares, dê feedback e tenha sempre disciplina. Existem vários sistemas disponíveis no mercado que auxiliam nas tomadas de decisões. Por isso sempre digo: ‘sem dados, somos apenas uma pessoa com opinião’.”

E depois?

Ter conhecimento e planejamento em mãos não é a reta final da jornada de um empreendedor. É preciso buscar atualizações e acompanhar a dinâmica do mercado, principalmente no setor de limpeza. A clareza do negócio é a única forma de manter uma empresa viva e saudável. Planejamento financeiro e conhecimento são caminhos que se abrem. No entanto, ainda é preciso trilhar uma jornada para chegar, enfim, ao sucesso.

Além disso, aquela dica que vale para todos: não sonhe acordado; vá e veja. “Não venda sem obter lucro, valorize seu trabalho, pague depois de receber. Não existe mágica”, diz Luiz Carlos Gonçalves. Além disso, ele finaliza: questione sempre. “Um bom planejamento se inicia com a pergunta: onde queremos chegar? Como podemos chegar lá? O que será preciso fazer? A quem eu atenderei com a minha proposta de valor? Quem serão os meus parceiros? Quanto isso custará? Quem pagará a conta? Quanto vai me sobrar?”

Quando for possível responder todas essas questões o empreendedor estará no caminho certo para a segurança financeira do seu negócio. Busque informações e dados (confiáveis), sem esquecer que o aprimoramento pessoal e profissional para as áreas de gestão passa por cursos e muito networking para entender as necessidades e transformações do mercado.

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik e Divulgação