Conheça as ferramentas que ajudam a enxergar novas oportunidades e até mesmo ampliar o conhecimento do próprio potencial e habilidades profissionais

A vida profissional e pessoal é recheada de projetos, planos, metas e desejos. Porém, alguns ficam pelo caminho e podem gerar sentimentos relacionados ao fracasso, culpa, desânimo ou falta de confiança.

Algumas ferramentas poderosas têm sido aplicadas para fazer com as pessoas entendam o que pode dar certo ou errado e melhor direcionar sua vida: são os programas de coaching e mentoring (mentoria).

Embora o termo coaching ganhe cada vez mais evidência, muitas vezes é confundido com outras técnicas ou entendido como algo destinado para situações ou profissionais específicos. Porém, é importante ficar claro que os processos e metodologias são acessíveis a todos os públicos.

De acordo com Renata Arrepia, que atua como coach profissional há quinze anos, a metodologia permite transformar aspectos pessoais, profissionais, familiares e até financeiros de qualquer pessoa que esteja disposta a passar por uma mudança comportamental e conquistar a autogestão.

Renata Arrepia, Coach / Divulgação

Ferramenta multidisciplinar

Por definição, o coaching pode ser entendido como processo, metodologia ou conjunto de competências e habilidades aprendidas por meio de técnicas e ferramentas multidisciplinares. O treinador (coach, em inglês) é o profissional hábil para aplicar os métodos para desenvolver tanto pessoas como organizações.

“O coaching dá a visão dos motivos pelos quais somos levados a lugares em que não queremos estar e das razões que travam a vida pessoal. Mostra a necessidade da mudança comportamental”, explica Renata.

Uma ferramenta que desponta com força nesse caminho de autoconhecimento é a mentoria, que assume o papel de um guia (o mentor) do profissional para orientar e compartilhar as experiências.

Acelerando com a mentoria

A mentoria é o instrumento para mudar o curso da carreira ou dar o foco necessário para que a pessoa extraia e use todo o seu potencial em prol do sucesso esperado e em curto espaço de tempo.

“A mentoria é bastante pontual e ajuda a ver o que está errado para que a pessoa possa aprender e melhor se capacitar”, ressalta Renata.

As orientações de mentoring têm foco no aspecto profissional do mentorado, com vistas a destravar barreiras, enquanto o coaching sai do campo exclusivamente profissional.

Fernanda Cerri, gerente de operações da Indeba Indústria e Comércio, é uma das participantes do programa de Formação em Coaching e Mentorias de Renata Arrepia.

Fernanda Cerri, da Indeba / Divulgação

Ela está entre os ganhadores das cinco bolsas sorteadas aos associados da Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp), e conta que não só pôde mudar aspectos da sua vida como se preparou para ser uma difusora do conhecimento e experiências que adquiriu.

Mudar além do esperado

Convidada pela Fundação UniAbralimp para participar do desenvolvimento do Programa de Mentoria para Mulheres, Fernanda explica que o coaching e a mentoria são importantes para quem se sente estagnado e não enxerga alternativa para crescer na vida profissional ou pessoal.

“São poderosas ferramentas, que viram uma chave no nosso cérebro e fazem com que a gente enxergue um mundo novo e com muitas possibilidades”, relata Fernanda.

Após passar pela formação em coaching, ela iniciou as sessões de mentoria e viu a cada semana novos resultados a partir dos acompanhamentos. Ressalta que um dos aspectos interessantes do processo é não emitir opiniões, mas fazer com que a pessoa veja onde ela deve melhorar e aplicar as ferramentas aprendidas no seu dia a dia.

Deixar o automático de lado

Wagner Helfstein, consultor e diretor técnico da Archote Indústria Química, que também participa do programa de formação como bolsista sorteado pela Abralimp, avalia que muitas vezes um líder, com grande bagagem profissional, realiza tudo de modo automático, tira a oportunidade de pessoas aprenderem e deixa de delegar. Com a metodologia fica clara a vantagem de atuar em conjunto.

“Hoje, até mesmo na indústria, as pessoas ficam desmotivadas, robotizadas e muitas, com grande capacidade e competência, acabam não aplicando seu potencial em função das rotinas. A partir do coaching e da mentoria aprendemos como levar nossas ideias adiante e transformar o modo de realizar o trabalho”, relata Helfstein.

Wagner Helfstein, consultor e diretor técnico da Archote / Divulgação

Atualmente trabalhando para duas empresas, Helfstein compara que a comunicação melhorou consideravelmente e percebeu que até as reuniões se tornaram mais curtas e eficazes. Na sua consultoria, pretende aplicar as ferramentas para ajudar o cliente a identificar a melhor forma de solucionar problemas.

“Com mais técnica, quero humanizar o trabalho e entender melhor as atividades para dar uma contribuição efetiva aos processos”, ressalta Helfstein.

Virar o jogo

Segundo Renata, sair da zona de conforto pode ser um processo doloroso. “É parar de chorar e conseguir mudar. Muitas vezes somos sabotadores de nós mesmos. Programas de coaching e mentoring levam a pessoa a fazer o que deve ser feito e a ver que pode perder o jogo para ela mesma.”

Para as mulheres que estão interessadas em abrir a cortina e enxergar como podem transformar sua vida, a Fundação UniAbralimp, com apoio de diversas profissionais de sucesso no segmento de limpeza, lança durante a Higiexpo 2022 o Programa de Mentoria para Mulheres.

A proposta de dar suporte para as mulheres que atuam no segmento de limpeza profissional a fim de que possam crescer e se desenvolver em suas carreiras.

Quem visitar o estande da Fundação UniAbralimp poderá conhecer as oportunidades de transformação e se inscrever para o programa, tanto com o interesse em ser uma mentora, quanto em ser atendida pelo programa e se tornar uma mentorada.

Anote em sua agenda: Higiexpo 2022, entre 9 e 11 de agosto, no São Paulo Expo. Entrada gratuita. Faça aqui sua inscrição para a Higiexpo.

Fonte: Abralimp

Fotos: Freepik e Divulgação