De acordo com a Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp), a proteção dos profissionais de limpeza, na linha de frente do combate à Covid-19, é fundamental

A utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), que auxiliam na manutenção da integridade física e da saúde, é obrigatória em algumas atividades e sempre foi uma das práticas do mercado de limpeza profissional para quem lida diretamente com a higienização de ambientes e superfícies.

Com a pandemia do novo coronavírus, essa proteção se faz ainda mais necessária para as equipes de limpeza, aponta a Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional (Abralimp).

Botas antiderrapantes, máscaras, aventais, óculos protetores, entre outros equipamentos de proteção individual são cada vez mais buscados, não apenas por conta da exposição aos produtos químicos, lixos em geral ou resíduos potencialmente contaminados retirados durante a ação de higienização, mas também para evitar o contágio pelo coronavírus. Lembrando que a higienização de ambientes e superfícies continua a ser uma das principais maneiras de conter a proliferação do vírus.

No mercado de limpeza profissional, as empresas prestadoras de serviços fornecem aos funcionários os uniformes e EPIs necessários para a atuação de forma segura. No entanto, quem atua com mão de obra própria também precisa ter essa preocupação para que os profissionais desempenhem suas funções com segurança.

Um dos pontos importantes que o trabalhador deve estar atento é com o momento da retirada dos EPIs após o uso, de maneira a não correr o risco de se contaminar. Por isso, recomenda-se que sejam retirados óculos de proteção e máscara sempre pelo elástico. Já as luvas descartáveis e o avental devem ser descartados a cada uso em lixeira de resíduo infectante. De acordo com a Abralimp, é fundamental sempre higienizar as mãos antes e após a retirada dos equipamentos.

Veja quais são os EPIs mais utilizados na hora da higienização e as principais recomendações, segundo a Abralimp:

Luvas

Utilizadas para evitar o contato com a pele, as luvas são amplamente utilizadas em atividades de limpeza, evitando a exposição aos produtos químicos, o contato com ambientes e superfícies com resíduos que podem representar algum risco, como lixeiras e banheiros.  Mais comuns, os modelos de látex são utilizados nas etapas rotineiras do processo de limpeza para remoção de sujidades em geral, respeitando o sistema de cores. Já as luvas nitrílicas são mais resistentes que os outros modelos em material descartável, apresentando maior durabilidade tanto ao desgaste como no contato com produtos corrosivos (solventes clorados, álcool, diluídos e aminoácidos).

Recomendações:

  • É importante que as luvas encaixem corretamente nas mãos.
  • Retirar alianças, anéis, relógios e pulseiras é uma obrigação, segundo a Norma Regulamentar 32 (NR32). Além disso, o uso desses acessórios aumenta o risco de danos às luvas.
  • Não se deve tocar o rosto ou cabelo, durante ou ao final das tarefas, utilizando as luvas.

Óculos de Proteção e protetores faciais

São responsáveis por não haver contato com produtos químicos prejudiciais aos olhos, nariz e boca. Os óculos de ampla visão protegem o rosto do usuário oferecendo vedação contra impactos, além de reduzir a possibilidade de contato do vírus com as mucosas oculares.  Os de segurança, por sua vez, previnem e protegem os olhos do trabalhador de possíveis acidentes e lesões.

Capote/ Aventais impermeáveis

Protegem o corpo do profissional contra a umidade e do contato com produtos químicos concentrados ou diluídos.  Quando produzido em tecido-não tecido (TNT) ou polipropileno, é indicado para proteger o colaborador contra respingos de produtos químicos e micro-organismos, que estejam presentes no ambiente que está sendo higienizado e deve ser sempre descartável. Já os de PVC são indicados para operações com o uso de água, protegendo o colaborador da umidade.

Máscaras

As máscaras sempre foram utilizadas por profissionais de limpeza, visando evitar a inalação de agentes químicos e biológicos. Outro fator para ser indispensável, é que algumas delas evitam a contaminação de vírus transmitidos pelo ar, como o coronavírus.

Recomendações:

  • Antes de colocar a máscara, lave as mãos.
  • Como medida de segurança, as máscaras devem ser colocadas no rosto cuidadosamente ajustando os espaços. Além disso, a máscara deve estar apropriadamente ajustada à face para garantir sua eficácia e reduzir o risco de transmissão.
  • Não se deve tocar na frente da máscara durante o uso ou na retirada – já que a superfície pode estar contaminada – e retirá-la sempre pelas tiras laterais.
  • Após a utilização ou toda vez que tocar inadvertidamente em uma máscara usada, as mãos devem ser higienizadas imediatamente.
  • As máscaras descartáveis devem ser corretamente acondicionadas no lixo.

Para mais informações sobre procedimentos de limpeza e desinfecção, acesse os Manuais de Procedimentos de Limpeza Durante a Pandemia elaborados pela Abralimp em: http://pages.abralimp.org.br/hsNhNMAJeht0s/manual-procedimentos-de-limpeza-covid-19-abralimp.html

 

 

Fontes: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.