Segunda parte da web conferência elucidou o dispositivo

Na segunda parte do webinar “Como a ABNT NBR ISO 41012 pode ajudar a resolver problemas de compras e contratação”, transmitido pelo canal da Abralimp no YouTube, mais informações foram abordadas sobre o tema de grande relevância para prestadores de serviço, áreas de compras e FM´s.

Mediado por Renato Rattis, diretor de Facility Management na Abralimp e Membro do CEE-267 Facility Management; Frederico Behmer, Membro do CEE-267 Facility Management e Conselheiro na ABRAFAC – Associação Brasileira de Facility Management, Property e Workplacee Ricardo Crepaldi, relator da NBR ISO 41012 e Membro do CEE-267 Facility Management – o encontro online começou com um overwiew sobre o dispositivo, que foi lançado originalmente em 2017, em inglês, e em 2019, em português, o material conta com anexos compostos por muitos exemplos para facilitar o entendimento.

“Estamos mudando o status quo e o nível do nosso país, colocando o Brasil par e passo ao que tem sido feito no mundo”, abriu Crepaldi, salientando a importância da norma para todo o mercado brasileiro de serviços.

Segundo o especialista, entender a estratégia do negócio, as necessidades, a prestação de serviços, os acordos e a medição de desempenho são essenciais para melhor o fluxo das negociações.

“Uma das etapas principais é entender a estratégia do fornecimento e o contexto do negócio principal da empresa. Isso é uma questão básica. Porém, o mais difícil é analisar a estrutura, forma e opções de entrega, além da entrega – que engloba toda a estrutura da negociação”, esclareceu.

Para ele, o importante é fazer corretamente os acordos para a obtenção de melhores resultados. “Por isso, a norma é a grande aliada para auxiliar os profissionais, a tomada de decisão e medição de desempenho”.

Ainda de acordo com Crepaldi, pelo fato das empresas serem organizações vivas, com mudanças e adequações, a estratégia de fornecimento deve iniciar com o dimensionamento do negócio principal. “É preciso pensar as empresas como um todo e entender o que elas buscam com os serviços. Daí a importância de entender a norma e os anexos”, pontua.

“O foco dos FM´s são as pessoas”, salienta o convidado, chamando atenção para as prioridades a serem atendidas. “Muitas vezes, as empresas têm acionistas, grupos de investimentos, diretrizes de sustentabilidade, entre outros exemplos. Com isso, o entendimento do contexto é crucial para o estabelecimento de uma estratégia adequada para aquele momento. Senão, todo o resto não estará aderente às reais necessidades.”

Caso de negócio

Perguntado sobre a importância do business case, Crepaldi destacou como a visão do conjunto é crucial para embasar a negociação: custo, estratégia do preço, riscos envolvidos e até mesmo o nível de tolerância para as empresas.

“São níveis de prioridades diferentes, por isso a estratégia deve estabelecer alguns critérios básicos que ajudem tanto prestadores como tomadores de decisão”. Para o convidado, a utilização da norma auxilia justamente na melhoria contínua e na inovação.

Crepaldi aproveitou ainda para destacar que o dispositivo abrange todo o processo – tanto para fornecimento interno, como externo. “A norma facilita a gestão de fornecedores e deixa claro os critérios, assim como os SLA´s (Service Level Agreement – acordo de nível de serviço) e os KPI´s (Key Performance Indicator – indicador-chave de desempenho), dependendo dos ciclos de contratação”, arrematou.

 

Confira o webinar na íntegra, clicando aqui! 

 

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.