Com o avanço do número de casos e mortes pela pandemia, a Associação Brasileira de Limpeza Profissional (Abralimp) está preocupada com a desinformação a respeito das melhores práticas de higienização e com as falsas promessas de algumas empresas. Nosso papel de esclarecimento neste momento é muito importante pois reunimos entre os associados os maiores especialistas em higienização, ou seja, limpeza profissional e desinfecção de ambientes. “A cada dia surgem novas tecnologias e processos, sendo que muitos ou não estão em conformidade com a legislação ou não dão qualquer garantia de eficiência”, alerta David James Drake, presidente da Abralimp.

Um exemplo disso são os túneis ou câmaras de desinfecção que Prefeituras e órgãos públicos começaram a adotar. Segundo nota da Anvisa, “não foram encontradas recomendações por parte de órgãos como a OMS, FDA (agência de medicamentos e alimentos dos EUA), Controle de Doenças dos EUA e Agência Europeia de Substâncias e Misturas Químicas”.

A Anvisa reporta que, além de ser uma prática que pode produzir importantes efeitos adversos à saúde em função da exposição das pessoas a substâncias químicas, o procedimento não inativa o vírus dentro do corpo humano. “Diante disso, é impensável que legisladores ainda queiram adotar a obrigatoriedade destas câmaras em algumas localidades”, afirma o presidente da Abralimp.

Para ajudar a sociedade na tomada de decisão, a Abralimp desenvolveu vários Manuais com Protocolos de Limpeza que podem ser consultados e seguidos por setores privados, públicos e também doméstico. “Causa surpresa vermos demonstrações em vídeos e matérias jornalísticas que mostram o movimento circular na limpeza de superfícies. Ao invés de higienizar, as pessoas estão espalhando o vírus”, acrescenta Érika Duarte, coordenadora de conteúdo técnico da Abralimp.

A união entre as entidades setoriais e o poder público é o melhor caminho para a adoção de diretrizes únicas e consistentes. “Com a divergência de informações, fica difícil uniformizarmos os processos e não é com projetos de lei divergentes que chegaremos às melhores práticas e tecnologias que são eficazes para o combate a disseminação do vírus. A Abralimp segue, nas suas recomendações, as regras da Anvisa, do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde de forma a garantir a segurança e a proteção à saúde das pessoas”, diz Drake.

A limpeza profissional tem tecnologias, metodologias e processos. Para ajudar o mercado na escolha de empresas que seguem as melhores práticas, que utilizam tecnologia adequada, que têm acesso a treinamentos e materiais técnicos desenvolvidos pela Abralimp, a entidade lançou o logo “Membro Abralimp” para seus associados. Fique atento.

 

Saiba mais em www.abralimp.org.br

 

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional por ADS Comunicação Corporativa.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.