Paulo Peres, diretor de relações institucionais, representou a entidade no ciclo de discussões FM Debate 360º

Durante quatro dias a ABRAFAC (Associação Brasileira de Facilities) apresentou em seu canal do Youtube o ciclo de discussões FM Debate 360º sob a temática “Da pandemia à Estratégia – a perspectiva do facilty management frente ao novo normal”, com as perspectivas do facility management frente à nova realidade. Paulo Peres, diretor de relações institucionais da Abralimp representou a entidade no evento e discorreu sobre os impactos na limpeza profissional.

Com potenciais protocolos e práticas a serem adotados em caso de novas ameaças de vírus no futuro os palestrantes debateram sobre quais os procedimentos, processos e tecnologias para que as empresas se preparem e se adaptem para garantir segurança, saúde e bem estar de seu público.

Especialistas em workplace solutions e services solutions, entre outras soluções estiveram presentes nos painéis do evento online para apresentar suas soluções e responder perguntas dos internautas.

Entre os participantes da rodada com Peres estavam estiveram Fátima Sousa (CEO da FS Educa); Rodrigo Pasquini (gerente de gestão e implantação de produtos e modernização na Elevadores Atlas Schindler); Guilherme Gonçalves (diretor na GAG Reciclagem de Eletrônicos), Tomaz Peeters (diretor de marketing) e Murilo Laerte Toporcov (diretor da It´s Informov). A mediação ficou a cargo de Andréa Cerqueira.

Em sua interação o diretor da Abralimp ressaltou a importância da entidade ao longo de mais de 30 anos de atividades, representando e fomentando os integrantes de toda a cadeia produtiva do setor.

“No momento da pandemia tudo acelerou. E o papel da Abralimp foi fazer com que todos os associados se agremiassem e participassem da revisão de protocolos, em uma iniciativa muito importante que contou com a participação de todas as empresas de forma ativa”, disse, enfatizando a abrangência da entidade no atual cenário.

Mudanças à vista

De acordo com os participantes a expectativa é de que as mudanças acontecerão paulatinamente – daí o fato de não se ter uma afirmação precisa sobre os novos rumos dos mercados. Para Peeters, “o home office está quebrando barreiras e passou a ser uma realidade. Com isso, o foco é o bem-estar das pessoas”.

Os demais participantes concordaram e indicaram que, apesar do avanço do trabalho remoto o espaço corporativo continuará em evidência e precisará ser repensado, mais arejado e com distanciamento suficiente para que as pessoas possam conviver com segurança. Por isso, as empresas precisarão inovar, construindo uma nova e mais abrangente cultura para as organizações.

E a limpeza, atual protagonista dentro da pandemia, também será ponto de decisão na hora de escolher produtos e serviços. “A situação será passageira. Ocorrências como pandemia e guerra acabam impulsionando o conhecimento, o avanço em diversas áreas. O Brasil vai se equiparar com o que é feito fora como nos Estados Unidos e Europa. Mas com o tempo as coisas irão voltando ao normal.”, pontuou Gonçalves.

Higienização

Como a limpeza do carpete impacta na saúde dos usuários dos prédios foi outro ponto abordado durante o debate. “Em geral se é um bom carpete – como o que vem sendo feito há 20 anos – fazendo uma boa aspiração e um processo de limpeza adequado será suficiente”, explicou Peres.

Toporcov aproveitou para enfatizar a importância do plano de higienização para obter os melhores resultados e a abertura de outras tecnologias e soluções, como, por exemplo, o aumento na oferta de aspiradores com filtros HEPA no mercado, apontando uma tendência para o pós-pandemia.

Outra predisposição na nova realidade será pela adoção de espaços corporativos abertos com a possibilidade de ajuste e fechamento das áreas de acordo com a demanda.

Expansão por tendas também será uma alternativa para utilização de espaços no segmento de alimentação fora do lar. “O segredo dos projetos do futuro, além da amplitude, será a variedade de opções para o usuário”, acrescentou Toporcov.

Para os participantes o profissional de facility já está acostumado a fazer a gestão de experiências. A partir de agora também terá a missão de ajudar a pensar o home office como uma extensão das empresas, atuando como um agente de mudança para o mercado novo, mudado pelas profundas experiências trazidas com a pandemia.

Apesar do momento ser de reflexão, as principais dicas deixadas pelos integrantes do debate foi escutar os prestadores de serviço, pensar nas pessoas para vivenciar uma oportunidade única de se reinventar e viver uma nova experiência no workplace.

 

 

Clique aqui e assista ao bate papo na íntegra!

 

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional.

Foto: Divulgação.