Irimar Palombo relembra durante entrevista como foi ganhar a primeira edição do “Prêmio Mulher Destaque em Facilities”

Na infância ela foi criada em uma rua que só tinha meninos. Mais tarde, já na faculdade, cursou engenharia e se deparou novamente com a mesma realidade: um universo masculino.

Mas isso não fez com que a diferença entre gêneros fosse um impeditivo para que Irimar Palombo seguisse adiante. Desde 2000 ela trabalha no SESC (Serviço Social do Comércio). Lá começou como Engenheira de Manutenção, até que em 2010 foi convidada a coordenar a gestão da área de insfraestrutura das unidades do estado de São Paulo.

Além disso, em 2019 ela foi a vencedora da primeira edição do “Prêmio Mulher Destaque em Facilities”, concedido pelo Grupo Mulheres de Facilities – GMF. Durante entrevista ao Higiplus Entrevista a convidada relembrou como foi ganhar a primeira edição do “Prêmio Mulher Destaque em Facilities”, concedido pelo Grupo Mulheres de Facilities (GMF).

Reconhecimento

“Pra mim foi uma surpresa imensa. Aliás, já tinha ficado surpresa ao ser abordada no LinkedIn e ser comunicada que era uma das indicadas à premiação. Até por estar fora do meu âmbito de relacionamento. Mas fiquei muito feliz em saber que meu trabalho é observado e reconhecido fora da empresa”, conta ela, que acrescenta: “a premiação também manda um sinal para todos do relacionamento profissional, que seu desempenho está sendo reconhecido. E isso é uma grande satisfação”.

Durante a conversa a convidada também relembrou que a presença masculina ainda é forte no setor de facilities. Porém, até mesmo a premiação e o aumento de profissionais mulheres está moldando o segmento e abrindo novas perspectivas para a atuação das profissionais da área.

“Nos últimos anos tenho observado que a presença feminina é muito forte, apesar do setor ainda ter predominância de profissionais homens. Mas de maneira geral, a presença de profissionais mulheres tem sido cada vez mais intensa”, enfatiza Irimar. “Acredito, inclusive, que o prêmio fortalece, incentiva e modela o segmento para outras mulheres que querem seguir carreira”, diz.

Para Irimar, a área de facilities sempre existiu. Faltava apenas os profissionais se reconhecerem nela. “Nos últimos anos estamos trabalhando para a evolução do setor e o que contribui muito para o reconhecimento foi o recente lançamento da norma NBR ISO 41000 que trata especificamente da gestão de facilities, com padronização da nomenclatura e definição do escopo de trabalho. Isso tende a colocar ou ampliar os limites da área e os profissionais facilitando que os profissionais se reconheçam como sendo facilities”.

Desafios em tempos de pandemia

Além disso, Irimar também compartilhou quais têm sido os desafios diários do segmento na gestão e adaptação às novas demandas advindas com a pandemia e as perspectivas para a nova realidade.

“Tudo mudou. Desde a forma como as pessoas entram nos ambientes, as definições e protocolos. Por isso cabe aos facilities, além de estudar o conceito, zela pela aplicação do álcool gel, utilização de totens, uso de elevadores. Com isso os maiores desafios, especialmente para quem atua com hard services, é o uso do ar condicionado. Não pelo sistema em sim, mas pelo medo gerado nas pessoas”.

Para a convidada, toda a preocupação com a Covid-19 trouxe também um grande estímulo para os profissionais do segmento ao reforçar a importância dos cuidados com a manutenção predial profissional.

 

Clique aqui para assistir ao bate-papo na íntegra!

 

Fonte: Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional – ABRALIMP.

Foto/Divulgação: ABRALIMP.