Erik Cavalheri, CEO do Grupo Incense, falou sobre o tema no Higiplus Entrevista

O plano de reabertura do comércio está impondo uma série de protocolos sanitários para proporcionar segurança a clientes, funcionários e fornecedores. Mas como os procedimentos estão impactando a rotina dos lojistas? Quais são as principais estratégias e adaptações para retomar os negócios dentro da nova realidade?

Para responder esta e outras questões o Higiplus Entrevista recebeu Erik Cavalheri, CEO do Grupo Incense, que opera unidades franqueadas das marcas: O Boticário, Quem Disse Berenice, Sunglass Hut e New Era. “Foi bastante abrupta a parada e agora o recomeço. Cada unidade de negócio tem um perfil diferente: lojas em shopping center, em hipermercado e loja de rua. E cada um seguiu um protocolo”, lembrou o entrevistado.

“Em termos de protocolo de limpeza temos o nosso interno. A franqueadora disponibilizou material de visual merchandising, mas também utilizamos os nossos procedimentos e damos mais ênfase em superfícies que são tocadas. Também usamos nebulizadores com peróxido 4D.”

A questão da experiência do cliente dentro de loja também foi um ponto destacado pelo convidado. “Não temos mais demonstradores e estamos aprendendo a vender e entregar um produto sem a experimentação”.

A abertura de novos canais de venda – “estamos vendendo até pelo Whatsapp”, frisou o entrevistado – está em vigor nas lojas. “O modelo está totalmente mudado e estamos nos adaptando a ele”, completou indicando que as mudanças passam por todas as esferas do ambiente das unidades de negócio.

Limpeza: fundamental

“A limpeza nunca foi custo”, com esta afirmação Cavalheri salientou que a limpeza é fundamental nas lojas. Segundo ele toda a equipe passou por treinamento com especialistas para atender os novos protocolos advindos com a pandemia.

As adaptações estão em curso, já que tudo está em mudança. “Não tínhamos o hábito de limpar a maquininha do cartão a cada uso. Mas está virando rotina. Não é tão difícil. Mesmo quando acabar a pandemia o hábito de controle de limpeza vai ficar”

Otimista, o empresário acredita que apesar das dificuldades impostas, os negócios irão melhorar. “É uma questão de adaptação. As empresas irão se adequar às necessidades dos consumidores”, disse. “Ninguém tem 100% de razão, então temos que aprender todos os dias com a pandemia. Sobreviverá quem tiver mais facilidade para se adaptar a esse momento”, finalizou.

 

Clique aqui, para assistir esse bate papo na íntegra!

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional.

Foto: Divulgação.