Gerente de facilities do Hospital Albert Einstein é indicada ao Prêmio Mulher Destaque em Facilities

Gerente de facilities do Hospital Albert Einstein, Ana Paula de Araújo Santos atua focada em serviços de hotelaria trabalhando diretamente com seis profissionais e mais uma equipe de 475 colaboradores.

“Nosso desafio é garantir o funcionamento das operações para que a experiência do paciente seja sempre positiva”, explica a candidata ao Prêmio Mulher Destaque em Facilities, que elegerá a profissional de maior relevância para o segmento no Brasil.

Integrante do staff do hospital desde 2010, a profissional acrescenta ainda que a área é totalmente ligada a pessoas. “Uma equipe envolvida, engajada, comprometida com o resultado e, sobretudo, com o propósito da organização, será sempre a base para o sucesso”, diz.

Focada na gestão de pessoas, Ana Paula conta que em seu escopo de atividades busca sempre novos modelos de atuação para alcançar resultados positivos no trabalho. “Assim contribuo para que as operações estejam alinhadas às expectativas do nosso cliente”.

Segundo a gerente, é preciso ter disciplina com o planejamento das atividades e gerenciar as operações pautadas por indicadores de performance, definindo as ações em conjunto para ter sucesso na gestão.

Ascensão feminina

Com uma equipe composta na maioria por mulheres, a profissional salienta a importância de ter os dois gêneros no grupo. “Dentro de qualquer modelo de gestão quando se tem um time os desafios passam a ter maior potencial para serem vencidos”, enfatiza.

“Do meu ponto de vista não existe vantagem ou desvantagem entre gêneros. Entendo que cabe ao gestor extrair de cada um o que há de melhor dentro de suas habilidades e competências. Antigamente algumas atividades ficavam restritas ao gênero. Mas cada vez mais esses paradigmas vem sendo rompidos favorecendo a equipe, além de permitir que homens e mulheres possam atuar na mesma atividade”.

Apaixonada pelo que faz há mais de duas décadas, Ana Paula aponta a dedicação ao trabalho com um de seus pontos fortes. “Quando há apoio da alta liderança e um gestor que motiva e desenvolve seu liderado isso faz toda a diferença. Esse é um modelo no qual acredito e sou muito beneficiada. Busco replicar isso com meus liderados e motivá-los com a realização e entrega do que, juntos, planejamos.”

No terceiro hospital com atuação no segmento de facilities em seu currículo, a gerente relembra que o setor ainda é dominado pela presença masculina, mas as mulheres vêm mostrando estar bem alinhadas à atividade.

“A cada dia elas estão mostrando o quanto é possível atuar em atividades que, por alguma razão, há alguns anos atrás demonstravam estar mais voltadas ao sexo masculino”, diz, acrescentando ainda: “a inteligência das mulheres, suas competências e habilidades são fortes aliadas na ascensão no universo de facilities. Temos no mercado muitas profissionais que estão se destacando e incentivando outras a buscar o devido reconhecimento. E isso nos traz muito orgulho”.

A gerente conta uma experiência profissional que ilustra bem a situação. Durante um período em sua carreira ela fez a gestão de um contrato de serviço de estacionamento com uma demanda de 3000 mil veículos por dia e média de 400 profissionais – 99% colaboradores do sexo masculino.

“Naquela ocasião pude conduzir o trabalho sem nenhum impacto pelo fato ser uma mulher. Posso afirmar, inclusive, que houve muito respeito e engajamento da equipe com entregas diferenciadas e um desempenho que contribuiu muito para o meu avanço dentro da organização”, destaca.

Por isso, para Ana Paula o papel da mulher no âmbito de facilities vem ganhando notoriedade, com profissionais competentes evidenciando trabalhos brilhantes. “Ainda há um longo caminho a ser percorrido, mas certo que existem grandes conquistas a serem alcançadas”.

Experiência marcante

Outra experiência marcante dentro da carreira foi o processo de internalização de um determinado serviço que demandou a contratação de 300 pessoas e aquisição de equipamentos. “Dentro do contexto de formatação de equipes essa foi uma experiência extremamente agregadora.”

Ser indicada pelo grupo Facilities Hospitalar, composto por mais de 130 gestores e tomadores de serviços do setor foi outro momento especial no histórico profissional da paulistana de 43 anos. “É uma honra concorrer à premiação, um trabalho que fortalece e contribui para maior visibilidade das mulheres no setor. A premiação está muito bem estruturada e muito mais que uma “competição”, é a satisfação em poder estar ao lado de profissionais competentes e admiráveis.”

Gestão durante a pandemia

Com expediente dentro de um ambiente hospitalar, Ana Paula precisou implantar diversas adaptações ao escopo do trabalho por conta da pandemia. A começar pela rotina, que passou a contar com o desempenho das atividades de forma alternada: hora no hospital, hora em regime home office. “Ainda é desafiador, pois facilities demanda estar presente. Porém o trabalho remoto mostrou que é possível concluir as atividades mesmo à distância”.

Mas como ficou a gestão de facilities com a Covid-19? Indagada sobre isso a gestora é enfática: “dentro do aspecto operacional, houve necessidade de diversas adaptações”, pontua. “A limpeza, por exemplo, passou a ter a freqüência intensificada, com novas demandas”.

Outra atividade que passou por um aumento significativo de demandas foi a área de logística, assim como o setor de rouparia. “O hospital passou a disponibilizar uniforme privativo a 100% dos colaboradores que atuam diretamente no cuidado com pacientes positivados para Covid-19”, diz.

“Estamos em uma organização que prima pela segurança de seus pacientes e colaboradores”, salienta. Ela ressalta ainda a importância de dispor de uma equipe multiprofissional, capacitada e apta para que a comunicação seja a mais transparente e acessível a todos, mitigando qualquer dúvida – do ponto de vista de segurança ou mesmo questões administrativas que sofreram, de alguma forma, impacto com a pandemia.

Além disso, a comunicação com os liderados diretos tem sido feita com o auxílio de ferramentas online. Já a equipe operacional teve os dias de trabalho alternados para reduzir a exposição dos colaboradores. “Também houve a necessidade de algumas contratações extras, entre elas uma profissional dedicada a orientar, treinar e garantir uma comunicação clara a toda equipe.”

Outra iniciativa foi o apoio prestado aos profissionais que se afastaram em decorrência da Covid-19 com a distribuição de kits compondo equipamentos de proteção individual e outras iniciativas de apoio. “Também existe um programa desenvolvido para os colaboradores, com uma série de ações relacionadas ao auto cuidado, gestão de crise e suporte psicoemocional.”

Como o ambiente hospitalar demandou intervenções importantes e necessárias para o enfrentamento da doença, houve uma elevação natural das despesas. .”Em contrapartida a receita não acompanhou a mudança na mesma velocidade.”, pondera.

Então, segundo Ana Paula, é o momento de olhar para frente e encontrar o “novo normal” para que as operações sejam realizadas de forma diferente. “Precisamos encontrar as oportunidades na crise, garantindo o equilíbrio e sustentabilidade dos negócios.”, ensina.

Em família

Graduada em Tecnologia da Informação, com uma pós-graduação em Hotelaria Hospitalar; outra em Administração de Negócios e um MBA Executivo em Gestão de Saúde, Ana Paula é casada e mãe de dois filhos: Larissa e Miguel, com 23 e 17 anos, respectivamente.

Quando tem um tempo livre, o foco é a família. “Adoro jogar games com meus filhos e esposo e também assistir filmes”. Ouvir música e cantar também estão na lista de hobbies. “Antes da pandemia as idas à igreja eram freqüentes, já que eu e minha família atuamos na área da assistência social ajudando pessoas mais carentes”.

Idas a restaurantes também faziam parte da rotina. Mas com as medidas impostas pelo distanciamento social a alternativa é cuidar do xodó: o cachorrinho da raça shitzu chamado Dimy. E rever as fotos do sonho realizado no ano passado: viagem de férias com a família para a Disney.

 

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional.

Foto: Divulgação.