Guilherme Salla, diretor de sustentabilidade da entidade, destacou os protocolos necessários para a retomada das atividades

A Abralimp segue participando ativamente de lives e eventos virtuais para disseminar conteúdo útil sobre a importância da higienização em tempos de pandemia. Em meados de julho foi a vez da entidade marcar presença em uma palestra virtual organizada pela HFN – Hotel & Food Nordeste, feira do setor de hospedagem e alimentação fora do lar do Nordeste. Na ocasião a entidade foi representada pelo diretor de sustentabilidade e certificação, Guilherme Salla.

Como proceder no momento de reabertura dos estabelecimentos foi o tema do bate papo. Segundo Salla, a limpeza tem sido mais exigida no atual contexto. “Dentro da Abralimp sempre lutamos para destacar que limpeza é sinônimo de saúde”.

Ao ser indagado sobre os cinco principais itens de higiene e limpeza utilizados nos protocolos de limpeza, o convidado reiterou a importância dos protocolos preconizados pela Abralimp desde o início da pandemia. “Montamos um grupo de estudos para identificar os principais pontos para transformar em um manual composto por protocolos que está disponível para consulta”.

Salla listou como protocolos indispensáveis para os processos de higienização durante a pandemia: produtos químicos; EPI´s utilizados por colaboradores na linha de frente dos processos de limpeza; equipamentos e máquinas; áreas de atuação (para aumentar a frequência de superfícies de alto contato com as mãos); procedimentos (que englobam todos os outros pilares).

Indispensáveis para a maioria dos estabelecimentos, esses protocolos servem de base para a higienização. “Com apoio técnico cada setor pode se adequar para completar os procedimentos em suas especificações de atuação”, disse o diretor, salientando ainda os manuais de limpeza disponibilizados pela entidade.

Mitos

Outra questão abordada foram os mitos existentes no processo de limpeza para o segmento de alimentação, em específico. “A limpeza profissional sempre foi muito vinculada à domestica. Por isso, quando o colaborador vai para o mercado institucional percebe a diferença dos procedimentos”.

O primeiro ponto é a utilização do álcool 70%. Antes da desinfecção com álcool é imprescindível remover as sujidades orgânicas. Hoje no mercado existem produtos 2 em 1, com detergência e desinfetante, específicos da linha profissional para obter os melhores resultados.

Sabão com detergente e hipoclorito são outros itens que figuram como mitos. “Existem no mercado produtos que não agridem as superfícies, com melhor custo X benefício e eficácia comprovada”.

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional.

Foto/Divulgação: HFN – Hotel & Food Nordeste.