Renato Fortuna, Presidente da FEBRAC, aponta as oportunidades para o setor de higiene e limpeza no pós-pandemia

“Apesar de tudo, devemos ter esperança em dias melhores.” Esta foi a principal mensagem passada pelo presidente da FEBRAC (Federação Nacional das Empresas Prestadores de Serviços de Limpeza e Conservação) durante bate papo com o Higiplus Entrevista.

Para o executivo, apesar da retração vivida pelo setor no início da pandemia do novo coronavírus, as expectativas são promissoras. Com o relaxamento das medidas de distanciamento social pouco a pouco as atividades estão sendo retomadas em todos os níveis da economia.  “E, imprescindível para que todos os segmentos da cadeia produtiva possam retornar está a limpeza e a higienização”.

Durante a conversa o presidente também apontou as expectativas para a nova realidade. Capacitação, treinamento e emprego de tecnologias estão entre as medidas que deverão ser adotadas pelos players do mercado para se adequarem às novas demandas. “A capacitação será fundamental no pós-pandemia”, antecipa.

Além disso, o convidado também relembrou como a limpeza veio atuando ao longo das últimas décadas. “Praticamente invisível. Mas agora a situação fez com que esteja sob os holofotes, já que ela garante a segurança para o exercício de todas as demais atividades”, reforça.

Higienizador de ambientes

Fortuna também lembrou durante a entrevista que os profissionais do setor também ganharam destaque dentro do novo contexto. “O profissional de limpeza passa a agora ser um agente de higienização, responsável por manter os ambientes saudáveis”, destacou. O antigo servente de limpeza ganhará status de higienizador de ambientes”, diz.

“Como seria o funcionamento de todos os setores sem a presença desta força de trabalho? Infelizmente alguns nichos de mercado foram mais afetados e tiveram uma grande redução no número de colaboradores”, pontuou Fortuna. “Apesar disso, a expectativa é de que o setor de limpeza e conservação se capacite e qualifique ainda mais.”

Além disso, o convidado também destacou que o foco na parte tecnológica também deve estar no radar das empresas e profissionais do setor. “O mercado tirará como experiência a valorização no pós-pandemia, com a especialização para atender todos os novos requisitos”, explicou, para acrescentar ainda: “Se a preocupação antes era manter limpo, agora mudou completamente a concepção, já que é preciso fazer a correta higienização”, finaliza.

 

Clique aqui, para assistir esse bate papo na íntegra!

 

 

Fonte: ABRALIMP – Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional.

Foto: Divulgação.