Diretor de Facility Management na Abralimp fala sobre os impactos da pandemia na limpeza e no facilities services

 

Estamos perto de completar um ano de pandemia. Neste período a limpeza ganhou destaque e impactou diretamente no setor de facility management. Para falar sobre as ações desenvolvidas durante o período o Higiplus Entrevista recebe na primeira edição de 2021 Renato Rattis, diretor de facility management na Abralimp.

“Os desafios foram gigantescos, até porque quando a pandemia começou na China todos achavam que ela não atravessaria o oceano. E quando chegou por aqui foi um momento de grande aprendizado e resiliência, com a Abralimp tendo um papel brilhante neste contexto”, destacou o convidado.

Segundo Rattis, a criação de um manual com protocolos para balizar o setor de limpeza profissional foi de suma importância para que demais segmentos tivessem embasamento com protocolos para o enfrentamento da Covid-19. “Tanto para os profissionais de FM, como os do mercado de limpeza profissional e também toda a sociedade”, enfatizou.

Tanto que a sinergia entre as duas áreas foi imprescindível. “O mercado de limpeza profissional já estava preparado devido a outras situações como H1N1 e respondeu rapidamente todas as demandas, inclusive, dos profissionais de FM”, diz o diretor, que acrescentou: “o papel da Abralimp foi fundamental para conduzir e dirimir todas as dúvidas, levando conteúdo com informação técnica para que profissionais e organizações se sentissem seguros”.

De acordo com Rattis, a limpeza passou ao primeiro plano e, a despeito da adoção do home office, muitos segmentos continuaram trabalhando ininterruptamente. Com isso, o papel dos facility manager também teve destaque para atender os desafios impostos diariamente.

Cultura do preço

Apesar de a limpeza ter feito com que os usuários dos espaços ganhassem mais percepção sobre a importância de ambientes limpos e saudáveis, os impactos econômicos causados pela pandemia podem refletir na contratação dos serviços.

Questionado sobre a volta da briga pelo preço, Rattis relembra que essa cultura abre espaço para que empresas que não são do mercado de limpeza profissional atuem apenas por preço.

“Ao olhar apenas o preço o nível de serviço pode ser comprometido. E a percepção maior da limpeza requer processos corretos de higienização. Se atentarmos para o escopo de prestação de serviços temos itens de extrema importância. Por isso deve ser feita uma análise técnica aprofundada de cada espaço e suas respectivas particularidades para ser feito um dimensionamento de serviço e produtos”, finaliza.

 

Clique aqui para assistir ao bate-papo na íntegra!

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/ Divulgação: ABRALIMP.