Diretor da Câmara de Distribuidores de Descartáveis, Produtos, Máquinas e Equipamentos na Abralimp apontou as expectativas do setor para 2021

Ao longo de 2020 enfrentamos desafios inimagináveis decorrentes da pandemia, entre eles a falta de insumos, descartáveis, produtos e equipamentos para suprir a demanda gerada pelo mercado de limpeza profissional em todo o país.

Dados divulgados recentemente mostram que as vendas de produtos de limpeza cresceram 8,5% no Brasil em relação ao ano anterior devido à preocupação com a higienização. Com isso, desde o início da pandemia houve falta de suprimentos e também elevação de preços, o que impactou diretamente em toda a cadeia produtiva.

Para saber como o setor de distribuição se comportou e as expectativas para 2021 o Higiplus Entrevista recebeu João Carlos da Silva Moreira, Diretor da Câmara de Distribuidores de Descartáveis, Produtos, Máquinas e Equipamentos na Abralimp.

“Tivemos uma grande demanda de produtos como sabonete, álcool em gel e desinfetante hospitalar. Mas o grande problema é que insumos como válvulas, por exemplo, faltaram e encareceram. Com isso houve escassez no recebimento e os distribuidores precisaram buscar alternativas”, relembra Moreira.

Para dar conta do recado as empresas do segmento precisaram se adequar. “O que percebemos foi uma adaptação no dia a dia”, contou o entrevistado, para acrescentar: “o setor passou a ser muito valorizado, pois se criou a cultura da higiene e limpeza e isso criou uma cultura permanente que impulsionará todo o mercado”.

Ainda segundo ele o lançamento de novidades também está estimulando o crescimento do setor, com novidades que permanecerão em evidência, como whipes, e o próprio álcool em gel.

“Houve, inclusive, aumento na demanda de dispensers, assim como sabonetes e desinfetantes hospitalares, que passarão a ser utilizados nos mais diversos ambientes”, explica. “A desinfecção veio para ficar!”.

 

Clique aqui para assistir ao bate-papo na íntegra!

 

Fonte: ABRALIMP.

Foto/ Divulgação: ABRALIMP.