Você acha que manter um automóvel é diferente de manter o carpete das suas instalações? Você tem razão: a manutenção de um carpete envolve mais trabalho e pode, potencialmente, economizar mais dinheiro no longo prazo. Por quê? Os custos da compra e instalação de carpetes comerciais podem ultrapassar a marca de R$ 600 mil para um espaço de 3 mil m², por exemplo. Apesar das diferenças dos custos de manutenção, cuidar de um automóvel e cuidar de um carpete têm alguns pontos em comum.

Considere um carro novo. Você não espera até que o hodômetro chegue a 15 mil quilômetros para trocar o óleo, você começa a manutenção na marca de 10 mil quilômetros. Quem deseja preservar a vida útil do seu veículo e manter seu bom funcionamento, sistematicamente cuidará dos itens essenciais nos períodos recomendados pelo fabricante: alinhamento e balanceamento de pneus, substituição do filtro de ar do motor, do filtro do combustível e do ar refrigerado, além do fluido de freio, velas de ignição. Isso sem contar a manutenção estética como limpeza dos assentos e eventuais pequenos reparos na pintura externa. Ou seja, você começa imediatamente a tomar medidas preventivas para obter o melhor retorno do seu “investimento sobre quatro rodas.”

A mesma filosofia de cuidado preventivo e consistente é válida quando se adquirem carpetes comerciais, mas nem sempre isso acontece. Embora o carpete possa durar até 20 anos, quando mantido de maneira adequada, os facilities, geralmente, preveem uma expectativa de vida de 10 anos ou menos, porque muitos esperam até que seus carpetes pareçam desgastados para implantarem protocolos de manutenção. Neste ponto, já é tarde demais para fazer a restauração completa do carpete, e a única esperança é simplesmente mantê-lo com uma aparência decente pelo tempo que for possível. E esperar é apenas um dos muitos erros que as pessoas cometem quando se trata de cuidar de carpetes.

Os maiores erros na manutenção de carpetes

Quais são os erros mais comuns na manutenção de carpetes comerciais? O primeiro é não atentar para a “trilha de gado”, ou seja, a área mais sujeita ao desgaste pelo fluxo de pedestres. Pode demorar um pouco para uma “trilha de gado” se tornar visível, mas uma vez que as fibras do carpete se rebaixem e comecem a refletir a luz de maneira diferente, essa mudança na aparência será impossível de reverter. A aspiração de rotina pode ajudar a evitar que uma “trilha de gado” perceptível se forme imediatamente, mas a aspiração regular não é um plano de manutenção completo. Sem intervenções como limpezas profundas restauradoras, as fibras, ao longo da “trilha de gado”, podem continuar a se desgastar e serem destruídas na medida em que o tráfego de pedestres as tritura e força a sujeira e os detritos em direção a base do revestimento.

Outro problema é limpar o carpete com uma solução fortemente alcalina ou ácida. O produto pode acabar eliminando as propriedades naturais de prevenção de manchas das fibras.

As práticas de limpeza de superfícies duras também podem ter um impacto inesperado no seu carpete. Superfícies duras adjacentes a espaços acarpetados são frequentemente tratadas com desinfetantes quaternários que, se não forem enxaguados corretamente, podem atingir o carpete e atrair mais sujeira.

Um erro final é não considerar os efeitos da luz solar na aparência do tapete. Digamos que você acarpetou corredor ou outro espaço com cobertura envidraçada. No início, tudo lindo. No entanto, se produtos químicos incorretos forem usados ​​para manter o carpete, você poderá ter um problema de desbotamento acelerado da cor.

Mas temos boas notícias. Você não precisa encurtar o ciclo de vida do seu carpete. Um carpete com manutenção adequada pode durar 10, 15 ou até 20 anos. Para desenvolver melhores práticas de manutenção para o seu piso acarpetado veja as recomendações para cada estágio do ciclo de vida do seu revestimento.

1. A manutenção começa desde a instalação

Assim que o carpete estiver instalado e devidamente aspirado, inicie um cronograma regular de aspiração e limpeza intermediária. Uma boa prática é aspirar todos os dias as áreas de maior tráfego e pelo menos uma vez por semana as outras áreas, dependendo de seu uso. Para a limpeza de interim, opte por produtos com procedimento a seco, ao invés de produtos de limpeza líquidos tradicionais. Ignorar os sistemas de limpeza à base de água pode ajudá-lo(a) a reduzir todos os tipos de problemas potenciais de mofo e bolor que podem impactar negativamente a saúde e segurança dos ocupantes do seu espaço.

2. Durante a “meia-idade” do tapete, concentre-se no rejuvenescimento.

Depois de alguns anos, você notará que seu carpete não se parece mais com o que era antes. Mesmo com a manutenção programada, seu carpete não pode deixar de sofrer algum desgaste. Nesse ponto, limpezas restauradoras periódicas poderão ser adotadas para a restauração das fibras.

Um processo de limpeza restauradora significa “pacote completo”, assim como levar um carro para a oficina, para recauchutagem. Por exemplo, o seu prestador de serviço pode usar um pré-spray alcalino no carpete e, em seguida, aplicar uma agitação suave e segura com equipamento adequado. Este método levanta as fibras ao mesmo tempo em que extrai e remove qualquer sujeira das profundezas do forro do carpete. Após a restauração, você notará uma grande melhora na aparência e no desempenho do carpete.

3. Evite a umidade nas fibras do carpete envelhecido

Quando seu carpete chega aos 15 anos, as fibras podem estar profundamente desgastadas, por isso é essencial minimizar ou eliminar ao máximo possível o uso de água e umidade nos processos de limpeza. Se você acompanhou a manutenção e priorizou processos de limpeza a seco, certamente será capaz de prolongar a vida útil do carpete por mais alguns anos.

Como você pode desacelerar a degradação durante os anos finais do seu carpete? Procure usar mais do que nunca, apenas processos mais secos, incluindo a limpeza de polímero a seco. Novamente, a umidade excessiva e a secagem inadequada são inimigas dos têxteis. Quanto menos exposição seus tapetes tiverem à água ou solventes líquidos, mais tempo de vida eles terão. Como as fibras dos carpetes envelhecidos começaram a ficar planas, elas criam as condições ideais para reter mofo e bolor com mais facilidade se não forem devidamente secas.

Tanto para os carpetes quanto para os automóveis, uma rotina de manutenção ajudará a rentabilizar mais o seu investimento. Lembre-se: ao fazer o orçamento de um carpete novo, considere não apenas o gasto inicial, mas, também, inclua os custos de manutenção em seu orçamento operacional. O planejamento adequado valerá a pena.

 

 

Fonte: Adaptado do artigo de Brian Mille, especialista em suporte de negócios da milliCare Floor & Textile Care para facilitymanagement.com

Foto/Divulgação: milliCare Floor & Textile Care para facilitymanagement.com